Brasileiros criam app "adedonha" e ganham R$ 15 mil em maratona

Brasileiros criam app "adedonha" e ganham R$ 15 mil em maratona

Nascido de um bate-papo informal com uma amiga, o protótipo da dupla, feito para Windows Phone, chegou a atrair olhares de possíveis investidores

Com uma ideia nostalgica e apenas 30 horas para colocá-la em prática, uma dupla de recém-formados da faculdade de Jogos do Senac conquistou, nesta quinta-feira (23), o equivalente a R$ 15 mil da Amazon. Rafael Fernandes, de 28 anos, e Heitor Sergent, de 22, conseguiram o feito apostando na velha brincadeira de criança "adedanha" (também conhecido como "adedonha" ou "stop"), conquistando o primeiro colocado na maratona de desenvolvimento Hack Battle, durante a TNW 2012.

Nascido de um bate-papo informal com uma amiga, o protótipo da dupla, feito para Windows Phone, chegou a atrair olhares de possíveis investidores. "Há uns meses fomos a casa de uma amiga e ela nos mostrou uns papéis prontos, feitos para se jogar Stop. Ficamos empolgados e na conversa ela falou que havia procurado o jogo na loja de aplicativos (do celular) mas que não tinha achado nada. Aí ela falou pra gente "porque vocês não fazem um? vocês não criam jogos?" ", explicou Rafael. "Quando chegamos aqui, pensamos em algumas ideias mas resolvemos apostar no Stop", completou Heitor.


Apostando na

Sem nada pronto, os dois jovens competiram contra outras equipes em uma maratona de 30 horas sem intervalos, onde criaram o jogo. O resultado: um prêmio de US$ 7,5 mil na Amazon Cloud Services e a expectativa nos corredores da conferência, dos quais pode se ouvir até um "o próximo Draw Something".

Rafael era designer de interface antes de entrar no curso de jogos, onde conheceu Heitor. Formados há apenas dois meses, os dois montaram a empresa Invaders Game Studio e já participaram de cinco maratonas de desenvolvimento. "Na última, uma competição de empreendedorismo do Senac, ganhamos uma viagem de quatro dias para Boston", contou Heitor.

O "Stop" ainda não está no ar, mas a dupla pretende usar o dinheiro da Amazon para hospedar os dados do jogo e lançar, em breve, uma versão ao estilo Draw Somethingm, funcional também no iPhone e no Android

Fonte: Tech Tudo