Bloqueador de xing-ling da Anatel pode desativar dois a cada 10 celulares

Ao ser habilitado na rede de uma operadora, o telefone será rastreado pelo sistema, que liberará o acesso dependendo deste número.

O sistema da Anatel que vai bloquear aparelhos não homologados deverá entrar em vigor somente após a Copa do Mundo, segundo semestre do ano que vem. Antes previsto para ser ativado no início de 2014, a agência estima que cerca de 20% dos 255 milhões de aparelhos celulares do país sejam inutilizados pelo sistema, segundo dados próprios.


Bloqueador de xing-ling da Anatel pode desativar dois a cada 10 celulares

As operadoras passarão a alimentar uma base de dados contendo o IMEI de todos os modelos homologados, que passaram pela inspeção técnica da Anatel. Ao ser habilitado na rede de uma operadora, o telefone será rastreado pelo sistema, que liberará o acesso dependendo deste número.

Aparelhos não homologados serão sumariamente bloqueados para originar e receber chamadas, SMS, assim como acessar a internet via rede de dados. A lista inclui todas as réplicas e celulares sem marca importados ? os famosos xing lings ?, assim como aparelhos roubados cujos IMEIs foram clonados e bloqueados pela operadora.

Apesar de aparelhos originais comprados no exterior não serem homologados pela Anatel, eles não serão alvo do sistema de bloqueio, desde que os modelos também sejam vendidos no país. Portanto, brasileiros ainda poderão comprar gadgets no exterior e usá-los no Brasil, mas devem se certificar que eles sejam comercializados nacionalmente, como o iPhone 5S ou o Galaxy S4, para citar exemplos.

O mesmo não deverá acontecer com aparelhos fabricados somente no exterior. Há, portanto, um risco de que celulares de estrangeiros visitando o país, por ocasião da Copa, sejam bloqueados pelo sistema. Por conta disso, a Anatel preferiu adiar a nova regra para o segundo semestre de 2014.

O grande objetivo do novo sistema, segundo a Anatel, é combater a comercialização de aparelhos piratas, que respondem por milhões de unidades vendidas no país e são uma das maiores causas de problemas de rede. A esperança é que, com a eliminação desse tipo de smartphone do país, sejam diminuídos os problemas com queda de ligações e qualidade do sinal.

Fonte: tech tudo