Brasil é oitavo em acesso de crianças a conteúdo impróprio, diz pesquisa

Kaspersky Lab: Children Online 2015 revela dados sobre o Brasil

Um estudo da Kaspersky Lab sobre conteúdo impróprio para crianças na Internet revela que o Brasil é o oitavo país do mundo com detecções deste tipo de material por programas de controle de pais. A pesquisa foi feita analisando dados de antivírus da Kaspersky equipados com tecnologia de Controle Parental contra temas perigosos e inclui países como Rússia, Índia, China, Estados Unidos e Alemanha.


Os resultados encontrados demonstram que 68% dos usuários de Internet no mundo todo já encontraram algum tipo de conteúdo inadequado ou perigoso na Internet. Sites com pornografia estão em primeiro lugar (59,5%), seguido de jogos de azar (26,6%) e armas de fogo (20%).

O Brasil atingiu uma média de 105 bloqueios por usuário, mas é responsável por 2,66% dos bloqueios da lista, um número superior aos 1,99% registrados pelo relatório em 2013. Além do país, também estão na lista Rússia, Índia, China, Estados Unidos, Vietnam, Alemanha, Algeria, Reino Unido e França.

Brasil supera média mundial

De todos os perigos pesquisados, os mais frequentes no Brasil são salas de chat (75,93%) e conteúdo adulto (59,04%) – os dois únicos quesitos nos quais o país teve bloqueios acima da média mundial. Em outras categorias, como armas de fogo (15,48%) e jogos de azar (14,78%), a média brasileira foi menor.

A pesquisa também estudou os hábitos das crianças na Internet e descobriu que a atividade mais procurada por elas são jogos online, com 53% das entradas. Em seguida estão aprendizagem (38%) e mídias sociais (37%).

Para proteger as crianças de ameaças online, a Kaspersky recomenda que os usuários utilizem programas com tecnologia de controle parental (controle de pais) e habilitem modos especiais para crianças em sistemas que permitam acesso a conteúdo multimídia como fotos, vídeos e streaming.

A empresa lembra, porém, que estas tecnologias não são eficazes contra sites e serviços seguros utilizados por pessoas com más intenções, como redes sociais. Contra estas ameaças, a melhor opção é educar as crianças para reconhecer e evitar perigos, sendo parte ativa de suas vidas reais e digitais.

Veja as principais conclusões do relatório

Mais da metade (59,5%) dos usuários encontrou pornografia; mais de um quarto (26,6%) caiu em sites dedicados a jogos de azar; um quinto dos usuários se deparou com sites com armas; e quase o mesmo número foi confrontado por "linguagem forte".

Sites que carregam conteúdo impróprio (pornografia, jogos, armas, linguagem forte), juntamente com outros que caracterizam drogas, tabaco e álcool, foram os mais frequentemente bloqueados por soluções de proteção da Kaspersky Lab. A frequência das detecções demonstra como é fácil se deparar com tais conteúdos online, já que quanto mais elevada a frequência, maior a probabilidade.

Os países com as mais frequentes detecções de Controle Parental foram China, Estados Unidos, Alemanha, Reino Unido e Rússia. O Brasil está entre os dez primeiros da pesquisa, em oitavo lugar e, em 2014, registrou uma média de 105 detecções por cada usuário.

Fonte: Tech Tudo