Brasil supera a China e vira o sétimo maior mercado de software do mundo

Programas de PCs e serviços de TI no país somaram US$ 24,9 bilhões

O Brasil ultrapassou a China em 2012 e se tornou o sétimo maior mercado doméstico do mundo na venda de softwares e serviços de tecnologia da informação, segundo pesquisa divulgada nesta quarta-feira (21) pela Abes (Associação Brasileira das Empresas de Software).

Com um mercado total de US$ 24,9 bilhões, o país pulou três posições de 2011 para o ano passado e no caminho superou, além dos chineses, australianos e italianos.

O crescimento registrado sobre 2011 foi de 28%. O salto ocorreu graças ao crescimento de 53,5% nas vendas de software, que atingiram os US$ 9,48 bilhões. Já o setor de serviços de tecnologia da informação (desenvolvimento de sistemas feito a pedido de uma empresa) avançou 16%, e chegou a US$ 15,44 bilhões.

Enquanto isso, o mercado interno da China teve um crescimento de 12,2%, atingindo os US$ 23 bilhões. A crise mundial que assolou principalmente a Europa e os Estados Unidos travou o crescimento dos principais mercados de software. A Itália, no caminho do Brasil, cresceu apenas 4%, a França , 6%, a Alemanha, 9%, e o Reino Unido, 5%. Já os Estados Unidos, a maior potência no segmento e lar das principais empresas, avançaram 3,63%.

O Japão e a Austrália, aparentemente longe do bafo da crise, avançaram 14,7% e 10,5%, respectivamente. Com crescimento sólido de 21,5%, o Canadá manteve a sexta posição e impediu o que poderia ter sido um salto ainda maior do Brasil no setor.

Apesar do grande avanço no comércio de softwares no Brasil, a grande maioria dos programas para computador continua sendo desenvolvida fora do país, por companhias estrangeiras. Pouco menos de 80% do faturamento vai para os cofres de empresas como as norte-americanas Microsoft e SAP.

Os setores que mais consomem esses programas são os de finanças (25%), serviços e telecomunicações (24,8%) e indústria (18,6%).

Já no segmento de serviços, a lógica é inversa. Mais de 88% do montante arrecadado vai para empresas que fazem o desenvolvimento das soluções dentro do país.

Pirataria

Com o avanço do mercado brasileiro em software e serviços, o Brasil chegou em 2011 a 3% da movimentação mundial. No entanto, enquanto o mercado interno brasileiro voa alto, as exportações ainda capengam. Chegaram a US$ 2,24 bilhões em 2012.

Um entrave ao crescimento do mercado doméstico, apontado pela Abes, é a pirataria, que chegou a 53% dos softwares vendidos no Brasil, em 2011. O combate aos softwares ilegais levou à remoção de 20,6 mil anúncios de venda de softwares piratas de sites na internet, além da suspensão de 52 páginas na internet. Fora da internet, em 309 ações ao longo do ano, 640 mil CDs foram apreendidos.

Quando somado ao gasto com software os recursos despendidos com hardware (equipamentos), o Brasil se caracteriza como o destino de 49% de todos os recursos investidos na América Latina.

Fonte: G1