Brasileiro cria rede social que tenta ajudar a realizar sonhos

Brasileiro cria rede social que tenta ajudar a realizar sonhos

A rede social funciona como um painel dos desejos online.

A internet não necessita de mais uma rede social para as pessoas compartilharem o que comem e para onde vão, precisa, sim, de um local em que possa se dividir os desejos e sonhos. Com essa ideia na cabeça, Djeison Santos Moreira criou o "Dreabe". A rede social funciona como um painel dos desejos online.

No "Dreabe", pessoas podem ajudar a tornar realidade o sonho de outras. Os pedidos vão de ingressos para um show até tratamentos médicos complicados. Segundo Moreira, o objetivo do site é que os usuários se unam em prol de causas específicas. Assim, o que se cria é uma "rede do bem" em que pessoas, muitas vezes desconhecidas, trabalhem para ajudar umas às outras.

Como o que aconteceu com Fernanda Schimanski, 23, que ganhou passagens para ver o show de seu ídolo Chico Buarque. Moradora da cidade de Dois Vizinhos, no interior do Paraná, a estudante tinha comprado ingressos para assistir ao cantor no show que teria em Curitiba. A entrada para o show já era muito cara, conta Fernanda, por isso precisava de ajuda para comprar as passagens de ida e volta à capital paranaense.

A ajuda veio pela web. Fernanda escreveu seu pedido no "Dreabe" e foi atendida por um usuário de Santa Catarina. "Nunca tinha visto este menino que me comprou as passagens antes. E ele também não me conhecia. Ele teve a vontade quando leu meu depoimento", conta a estudante de Letras. As passagens custaram cerca de R$ 200.

Fernanda não só conseguiu escutar o seu ídolo como também o ver de perto. Num golpe de sorte, Fernanda e seu amigo viram Chico Buarque saindo do hotel. Meio tímida, a menina tirou foto com o cantor. "Se não fossem as passagens, não teria ido para o show, nem teria tirado essa foto. Foi muito emocionante", conta a estudante.

Força para renovar a esperança

Nem todos os desejos postados no site são atendidos do jeito que se imagina. A telefonista Emanoele Pinheiro, 27, por exemplo, se surpreendeu ao escrever no "Dreabe". Casada há seis anos, Emanoele sonha em ter um filho. Ela e seu marido, no entanto, não conseguem gerar uma criança. Para mudar essa situação, o marido da telefonista precisa fazer um tratamento de fertilização que custa cerca de R$ 20 mil.

Quando entrou no site e postou o seu pedido, Emanoele não queria que ninguém pagasse pelo tratamento de seu marido. "Imaginava que talvez alguma clínica pudesse parcelar o pagamento", comenta a telefonista. O que ela não imaginava era o tipo de resposta que teve das outras pessoas.

?Muitos amigos e familiares não sabiam da nossa condição, era mais uma coisa nossa. Quando dividi isso na internet, comecei a receber respostas das pessoas. Elas pediam o meu contato, ligavam na minha casa. Pessoas que não conheço me mandando mensagens de força. Nesses dias, uma moça que mora aqui na minha cidade me ligou pedindo para eu não desistir do meu sonho?, conta a telefonista.

"Sinto como se 80% do meu desejo já se completou", diz Emanoele. Ela ainda afirma que as mensagens positivas renovaram a sua esperança. ?É como se o meu sonho estivesse mais perto de se realizar?, comenta.

O casal ainda espera conseguir fazer o tratamento para conseguirem ter o tão desejado filho. O site, diz Emanoele, diminuiu a sensação de desespero que ela tinha ao achar que seu desejo era impossível.

"Quem sabe eu não engravide sem o tratamento? Vai que a gente consegue? Tem tanta gente rezando, fazendo pensamento positivo e me dando forças que eu começo até a achar possível", conta Emanoelle.

Os sonhos são os outros

Cada usuário da rede vota na categoria que os sonhos postados se encaixa. O desejo pode ser nobre, legal, criativo ou um pesadelo. Aqueles que recebem maior voto para a categoria "nobre" ficam destacados na página inicial do site.

O mais interessante do "Dreabe", como apontam Emanoele e Fernanda, é o fato do site incentivar que as pessoas ajudem umas às outras. "Alguns sonhos são bem simples. Li no site que uma garota tinha o sonho de ter um dicionário jurídico. Fiquei com isso na cabeça. Quando fui na casa de uma amiga minha, que é advogada, vi que ela tinha o dicionário na estante. Contei a história da garota para ela, e acabou que consegui o livro", conta Emanoelle.

Segundo Moreira, que teve a ideia de fazer o site depois de dar um videogame antigo que tinha para um garoto que queria muito ter o jogo, o "Dreabe" mostra que nem sempre os sonhos são materiais e nem sempre são impossíveis de se realizar.

"Tem muita gente [no site] que tem vontade de pular de paraquedas e é algo simples. É só falar com o clube de paraquedismo da cidade. No final, o contato do contato do contato do contato chega ao objetivo. O site ativa essa rede de amigos", diz Fernanda. "É muito bom ajudar. Melhor ainda quando você encontra um lugar que você sabe que não sonha sozinho", finaliza a telefonista.

Fonte: UOL