Briga de grandes: Samsung blinda Android para enfrentar BlackBerry

Briga de grandes: Samsung blinda Android para enfrentar BlackBerry

A sul-coreana Samsung vem discretamente reforçando a segurança do software Google Android.

A Samsung Electronics, que continua a complicar a vida da Apple, agora tem outro alvo: a BlackBerry.

Os smartphones da Samsung vendem bem no mundo inteiro, mas a companhia até recentemente os direcionava ao mercado consumidor e não ao empresarial.

Mas nos últimos 12 meses, a sul-coreana Samsung vem discretamente reforçando a segurança do software Google Android que aciona seus aparelhos, para oferecer modelos mais seguros para uso empresarial.

O software protegido, conhecido como Knox (referência a Fort Knox, o local em que o governo dos Estados Unidos guarda suas reservas de ouro), foi exibido em uma feira internacional do setor de telefonia móvel, esta semana em Barcelona. A Samsung informou que sua nova versão protege os usuários contra malware.

A companhia espera que o novo software torne os celulares Samsung atraentes para os departamentos de informática empresariais, que costumam se preocupar com o roubo de dados sensíveis dos aparelhos de seus funcionários, expostos à ação de hackers. Os executivos de informática estão entre os mais leais dos clientes da BlackBerry porque os aparelhos da companhia contam com segurança reforçada, e a companhia opera uma rede privada e fechada para troca de dados entre seus aparelhos.


Briga de grandes: Samsung blinda Android para enfrentar BlackBerry

PARCERIA

A Samsung anunciou ter formado uma parceria com a General Dynamics, uma grande companhia do setor de defesa norte-americano, para garantir que seus aparelhos cumpram os rigorosos requisitos de segurança das agências governamentais dos Estados Unidos. Os executivos da Samsung informaram que o Knox começará a ser usado nos smartphones da companhia no segundo trimestre, em um novo modelo Galaxy. É provável que o aparelho em questão seja o Galaxy S IV, cuja apresentação está marcada para 14 de março em um evento em Nova York.

A companhia também vem dedicando maior atenção aos clientes empresariais, em sua publicidade. Veiculou diversos comerciais divertidos durante a cerimônia de entrega do Oscar, no domingo, demonstrando a utilidade de seus aparelhos para uma empresa. A Samsung afirmou que já tem provas claras de que seus aparelhos estão prontos para uso empresarial. Milhares de seus smartphones e tablets Galaxy já estão em uso por comissários de bordo da American Airlines, técnicos de TV por assinatura da Dish Networks e profissionais de saúde da Boston Scientific.

"Vamos liderar o mercado empresarial", diz Tim Wagner, vice-presidente de vendas empresariais na Samsung e ex-executivo da BlackBerry. "Quando a Samsung escolhe liderar em uma dada área, ela se torna líder".

A Samsung se tornou a maior vendedora mundial de televisores e celulares, mas persuadir os profissionais de informática a apostar seus empregos em um novo sistema de segurança será difícil. Executivos da BlackBerry insistem em que o BlackBerry continua a ser líder no mercado de celulares inteligentes para uso profissional.

VULNERABILIDADE

Mas a companhia está vulnerável. Os celulares Android e Apple iPhone no ano passado ultrapassaram o BlackBerry como modelos mais usados pelos profissionais de todo o planeta, de acordo com estudo do grupo de pesquisa IDC.

O estudo constatou que mais empresas estavam adquirindo iPhones para seus funcionários, e que os modelos Android eram os mais populares entre os profissionais que compram celulares para uso no trabalho. Isso coloca a Samsung, a maior fabricante mundial de aparelhos Android, em condição de se tornar importante fornecedora no mercado empresarial.

Para atrair os usuários empresariais, a Samsung acrescentou recursos especiais ao Android. Uma ferramenta permite que o usuários crie "perfis" separados para uso pessoal e empresarial, uma característica que a nova linha BlackBerry 10 também oferece.

No perfil profissional, o usuário pode utilizar apenas aplicativos aprovados e monitorados pelo pessoal de tecnologia de sua empresa. No perfil pessoal, ficam armazenadas as fotos, jogos e agenda pessoais, e esses dados não estão acessíveis para o setor de informática da companhia. Se o funcionário decidir deixar a companhia, o departamento de informática poderá apagar os dados de seu perfil empresarial, deixando intocados os dados pessoais.

O perfil empresarial também conta com recursos de segurança. Caso o aparelho seja infectado por malware, os programas nocivos não serão capazes de invadir os apps e os dados protegidos pelo perfil empresarial, disse Rhee Injong, vice-presidente do grupo da Samsung que desenvolveu o Knox.

A Samsung também formou parceria com a AirWatch, companhia que produz ferramentas para que os departamentos de tecnologia de empresas administrem os celulares dos funcionários. A AirWatch cuidará das alterações mais complexas nos perfis empresariais em uso nos aparelhos Samsung, como por exemplo restrições ao uso de certas redes Wi-Fi ou de certos aplicativos.

FLEXÍVEL

John Marshall, presidente-executivo da Airwatch, disse que o benefício da abertura da Samsung era que as empresas poderiam especificar com precisão o software para uso em seus aparelhos, e também gerir melhor os celulares de trabalho dos funcionários. Ele afirmou que, porque a BlackBerry tem um software próprio para gestão de seus aparelhos por companhias, a flexibilidade que ela oferece é limitada. Mas a BlackBerry alega que sua abordagem oferece segurança maior e maior consistência.

A Samsung também está colaborando com criadores de aplicativos. O Catch, um app que permite fazer e compartilhar anotações, empregará o sistema de perfis para permitir que as pessoas dividam suas anotações de forma a separar o conteúdo visível para amigos pessoais do conteúdo visível para colegas de trabalho.

"Isso vai facilitar muito para as pessoas, porque o app que usam para colaboração pessoal com amigos e parentes agora também poderá ser usado no trabalho", disse Andreas Schobel, vice-presidente da Catch, em entrevista.

O recurso Balance, do BlackBerry, permite que empresas e governos mantenham segregados os dados e apps usados para o trabalho, nos BlackBerry 10 de seus funcionários. Caso um aparelho seja perdido ou roubado, ou o funcionário seja demitido, os departamentos de informática podem apagar remotamente os dados sigilosos.

CRÍTICAS

David Smith, vice-presidente executivo de computação móvel da BlackBerry, sugeriu que a variação proposta pela Samsung para o sistema Balance deixava a desejar. "Um BlackBerry Balance pode manter informações empresariais realmente seguras, e garantir a privacidade das informações pessoais do usuário", ele afirmou em comunicado.

Smith também reiterou a alegação constante da BlackBerry no sentido de que seus produtos são especialmente seguros.

"Não importa o que anuncie qualquer um de nossos concorrentes, uma coisa não vai mudar", afirmou Smith. "A plataforma mais segura para a computação móvel é um aparelho BlackBerry funcionando na plataforma BlackBerry".

O primeiro modelo da linha BlackBerry 10, o Z10, deve chegar ao mercado dos Estados Unidos neste mês.

Alex Stamos, vice-presidente de tecnologia da Artemis Internet, uma companhia de segurança na computação, afirmou que seriam necessárias mais informações e meses de estudo a fim de avaliar o grau geral de segurança do sistema Samsung. Ele afirmou que recursos para separar dados e apps pessoais e de trabalho estavam disponíveis para aparelhos Android da parte de diversos fornecedores, entre os quais a Good Technology e a Fixmo.

CAUTELA

Stamos recomendou cautela aos executivos de informática.

"É preciso proteger computações que operam em um recipiente seguro de um sistema operacional no qual você não confia", afirma.

Mas porque a Samsung fabrica celulares, seu novo sistema terá uma distinção significativa ante aos demais produtos de segurança para o Android. Como no caso do BlackBerry, disse Stamos, a Samsung incorporará um sistema de verificação ao hardware de seus aparelhos, para confirmar que a segurança e sistema operacional do celular não tenham sido comprometidos.

"Isso torna muito mais difícil invadir um aparelho", ele disse. "E é bem mais próximo do que um BlackBerry faz".

Chris Hazelton, analista da 451 Research, escreveu um relatório detalhado no qual define o Knox como "fortaleza" para os dados empresariais em aparelhos móveis. Disse que, ao dividir os apps pessoais e empresariais em áreas separadas, o Knox talvez permita até que funcionários do governo usem aparelhos pessoais no trabalho.

"PADRÃO OURO"

Chetan Sharma, consultor de comunicação móvel que já trabalhou com diversas operadoras de telefonia, diz que o BlackBerry continua a ser o grande favorito dos departamentos de informática que têm fortes preocupações com a segurança. Mas acrescentou que não é certeza que essa situação perdure. Segundo ele, a Samsung está em posição forte para iniciar um ataque.

"Acho que o sistema de e-mails do BlackBerry continua a ser o padrão ouro", disse. Mas apontou que a dura realidade para a BlackBerry é que as pessoas preferem usar seus celulares pessoais no trabalho. Uma segurança mais forte se tornará ainda mais importante com o ingresso da Samsung no mercado de pagamentos móveis. Na feira em Barcelona, a Samsung também demonstrou seu novo aplicativo Wallet, que permitirá que as pessoas paguem suas compras usando futuros modelos Galaxy. Também anunciou parceria com a Visa para pagamentos móveis.

Fonte: Folha