Canadense utiliza netbook velho e cria robô de telepresença

Canadense utiliza netbook velho e cria robô de telepresença

A ideia é que o aparelho tenha cinco tamanhos diferentes de adaptadores de corrente contínua para atender os padrões da maioria dos fabricantes

Se você não sabe o que fazer com aquele netbook que você não usa mais e que está apenas juntando poeira, o canadense Colin Adamson criou um mecanismo bem interessante que é capaz de transformar seu antigo computador em um robô de telepresença, o Oculus Telepresence Robot. O robô dará um par de rodas para seu netbook e permitirá que você vigie sua casa remotamente com o auxílio da webcam do computador.

O aparelho é composto por uma plataforma ajustável para os diversos tamanhos de laptops pequenos, rodas motorizadas e um periscópio de inclinação, permitindo que o Oculus circule por vários terrenos sem prejudicar as imagens produzidas pela câmera embutida no computador.

O Oculus pode ser controlado por PCs, aparelhos iOS e Android através da internet, utilizando qualquer navegador. Além disso, ele possui duas vias de áudio e vídeo, permitindo que o usuário o utilize para uma espécie de conferência à distância ou para monitorar sua casa.

Adamson afirma que o carregador do laptop irá se encaixar perfeitamente no dock de carregamento do Oculus, permitindo que ele se recarregue sozinho. A ideia é que o aparelho tenha cinco tamanhos diferentes de adaptadores de corrente contínua para atender os padrões da maioria dos fabricantes.

O software do Oculus opera normalmente com os sistemas operacionais Windows 7, Vista e XP e o dock armazena melhor laptops com telas de 10 polegadas ou menores, com a webcam centralizada sobre a tela.

Por enquanto, o Oculus Telepresence Robot é apenas um protótipo e Colin Adamson está buscando recursos no site de crowdfunding Kickstarter para produzir e comercializar sua criação. Quem ficou interessado em ter um robô em casa poderá adquirir um exemplar contribuindo com uma doação de US$ 225. É só acessar http://kck.st/tW300C .

Fonte: Terra, www.terra.com.br