Caso Sony: Criminosos oferecem 2,2 milhões de números de cartões

Caso Sony: Criminosos oferecem 2,2 milhões de números de cartões

No dia seguinte ao anúncio, começaram a surgir relatos de gamers que tiveram problemas com seus cartões de crédito

Crackers afirmam que dados são fruto do ataque à rede do PlayStation; ainda não foi confirmado se os números são mesmo de usuários do serviço.

Depois do ataque à rede do PlayStation na semana passada, que tirou o serviço do ar e colocou em risco os dados de mais de 70 milhões de usuários da rede da Sony, começou a temporada de ofertas de criminosos no ?submundo? da Internet.

De acordo com o site Cnet, pesquisadores de segurança identificaram na rede mundial de computadores negociações em fóruns, com a oferta de 2,2 milhões de números de cartões de crédito que teriam sido capturados com o ataque à PlayStation Network. Mas ainda não foi possível confirmar a autenticidade dos dados oferecidos.

Em sua conta no Twitter, o pesquisador Kevin Stevens, da Trend Micro, confirmou ter sido informado sobre a oferta do banco de dados de possíveis usuários da rede. Segundo ele, a Sony teria recebido uma oferta para comprar as informações, mas não fez isso. No pacote de informações estariam nomes, endereços, telefones, números de cartões de crédito e senhas.

Entenda o caso

No dia 26/4, a Sony anunciou que uma ?invasão externa? à sua rede online conseguiu ter acesso aos dados pessoais e talvez informações de senhas, histórico de compras e até números cartão de crédito dos mais de 70 milhões de jogadores que utilizam a rede do PlayStation 3.

O caso é tão sério que, segundo um instituto de pesquisas especializado, o prejuízo da Sony com o vazamento desses dados poderia ultrapassar os 24 bilhões de dólares.

No dia seguinte ao anúncio, começaram a surgir relatos de gamers que tiveram problemas com seus cartões de crédito, de acordo com os sites como Ars Technica e VGN 365.

Ambos afirmam ter recebido um grande número de mensagens, via e-mail, comentários e mensagens via Twitter, de leitores usuários da PSN que dizem ter tido problemas com compras ou saques não autorizados.

Fonte: IDGNOW