Huawei pode pagar Microsoft por patente de aparelhos Android

A chinesa Huawei confirmou que a Microsoft está cobrando royalties por produtos que usam o sistema operacional Android, do Google


Huawei pode pagar Microsoft por patente de aparelhos Android

A chinesa Huawei confirmou que a Microsoft está cobrando royalties por produtos que usam o sistema operacional Android, do Google. A informação foi dada pelo chefe de marketing da divisão de dispositivos Huwaei Victor Xu ao The Guardian, que afirma que há uma negociação com a desenvolvedora do Windows a respeito das patentes.

A Microsoft teria procurado a Huawei após o lançamento de um novo smartphone e do tablet 7in no mercado britânico para cobrar sua parte. A argumentação da norte-americana é que algumas implementações de hardware para o Android infringem patentes registradas por ela. "Respeitamos a propriedade intelectual das companhias, mas temos também 65 mil patentes registradas pelo mundo, o que é suficiente para proteger nossos interesses", afirmou Xu. Para ele, a compra da Motorola Mobility pelo Google pode indicar que o gigante de buscas vá oferecer proteção extra aos fabricantes que usam o Android.

No final de outubro, quando a empresa do CEO Steve Ballmer fechou o décimo acordo do gênero, com a Compal, um funcionário da norte-americana afirmou que metade dos aparelhos com Android no mundo já pagariam por patentes da Microsoft. Além da Copal, Samsung, a maior fabricante de smartphones do mundo, HTC, Quanta Computer, Wistron, General Dynamics Itronix, Velocity Micro, Onkyo, Acer e Viewsonic teriam chegado a um consenso com a criadora do Windows.

De acordo com uma pesquisa recente do IDC, a Huawei atualmente é a segunda maior fabricante de equipamentos de infraestrutura de redes, sendo fornecedora da Ericsson e da Nokia, por exemplo. Mas as ambições da empresa são de chegar ao top cinco de produção de smartphones nos próximos três anos, e aos top três daqui a meia década. Hoje, a Research in Motion, que fabrica o BlackBerry, é quem ocupa a quinta colocação do ranking mundial, e embarcou 11,8 milhões de aparelhos no terceiro trimestre do ano. A Nokia, terceira maior, registrou 16,8 milhões. Os planos da chinesa para atingir a meta incluem a criação de um centro de design em Londres, que deve inaugurar em 2012.

Fonte: Terra, www.terra.com.br