Chips de vários núcleos chegarão aos smartphones

Chips de vários núcleos chegarão aos smartphones

Conheça as vantagens dessa tecnologia

Os smartphones com chips de dois núcleos foram uma das grandes novidades apresentadas na CES 2011 e no Mobile World Congress 2011, os dois eventos de tecnologia pessoal mais importantes do ano.

Motorola Atrix, LG Optimus 2X e Samsung Galaxy S II são apenas alguns dos aparelhos de nova geração que contam com chips de dois núcleos. E a Nvidia já anunciou que em breve terá chips com quatro núcleos para aparelhos móveis. Cada vez mais, essa tecnologia, já presente em PCs, chega também ao mundo móvel. A seguir, você conhecerá melhor as vantagens dos chips de vários núcleos.

História

Em meados de 2005 a competição de velocidade existente entre os fabricantes de processadores por meio do aumento do clock acima de 3,8 GHz chegou ao fim. Isto ocorreu porque velocidades superiores a esta consumiriam muita energia e gerariam muito calor, o que por sua vez exigiria sistemas de refrigeração mais caros.

A partir daquele momento o foco principal da disputa no mercado de PCs passou a ser a disponibilização de uma alternativa aos chips de um só núcleo. Foram lançados neste período os primeiros processadores com vários núcleos (conhecidos também como multicore) para usuários domésticos. A Intel começou com a linha Pentium D e a AMD com os chips Athlon 64 X2.

Inicialmente os testes de desempenho não demonstraram vantagens para os chips com vários núcleos. Isto ocorreu porque os sistemas operacionais e aplicativos da época não haviam sido criados para tirar proveito desta nova tecnologia. E também devido a velocidade do clock dos processadores de um único núcleo geralmente ser bem mais alta.

A principal diferença entre chips com um só núcleo e chips com vários núcleos está na forma como as tarefas são executadas. Nos chips com um núcleo determinada tarefa entra numa fila de espera para ser processada.

Devido à altíssima velocidade em que isto é feito, temos a impressão que tudo está sendo executado de uma vez só. Mas, com vários aplicativos abertos, é possível notar a limitação da arquitetura de núcleo único. Veja a figura abaixo, que demonstra a diferença da maneira de processar entre chips antigos e novos.

Em poucos anos os processadores com vários núcleos para PCs e notebooks se tornaram padrão de mercado. Hoje em dia é comum que os desenvolvedores criem softwares que aproveitam ao máximo os benefícios dessa arquitetura. Esses aplicativos ativam e desativam os núcleos dos processadores conforme a necessidade de processamento. Isso traz vantagens em termos de velocidade, calor gerado e energia consumida em relação à antiga tecnologia.

Smartphones com dois núcleos

Atualmente, a velocidade dos processadores móveis poderia até ser elevada a 3 GHz. No entanto, isso diminuiria drasticamente a duração da bateria e geraria também problemas de aquecimento. Para resfriar um processador com velocidade tão alta seriam necessários dissipadores de cobre e ventoinhas. A partir de 2011 a disputa multi-core foi iniciada entre os smartphones com o lançamento do LG Optimus 2x.

A empresa Strategy Analytics estima que, até o fim de 2011, 15% dos smartphones vendidos sejam de núcleo duplo e em 2015 esta fatia já tenha alcançado a casa dos 45%.

No início, as vantagens e desvantagens encontradas nos chips multicore em smartphones serão semelhantes as que ocorreram com os desktops e notebooks no passado. Porém os benefícios obtidos na prática com o aprimoramento desta tecnologia serão muitos. Por exemplo, será possível ouvir uma música sem engasgos enquanto se usa um programa de GPS. Jogos com gráficos mais complexos rodarão tranquilamente e também poderemos assistir a vídeos em streaming com boa qualidade.

Enfim, a tecnologia de vários núcleos não é uma revolução nos smartphones. Ela é, sim, uma evolução de performance na execução de múltiplas tarefas nestes dispositivos. O potencial é claro, mas estes processadores continuarão a concorrer por um tempo com os smartphones com chips de um núcleo.

Fonte: IG