Cientistas desenvolvem bateria que pode ser recarregada em menos de um minuto

Além de carregar muito mais rapidamente, a novidade é flexível, durável e mais segura do que os principais produtos existentes.

Cientistas da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, desenvolveram uma bateria feita de alumínio que pode ser recarregada completamente em menos de um minuto. A descoberta foi detalhada na edição de abril da revista Nature.


Os íons alumínio têm potencial para substituir os íons lítio, utilizados em baterias de laptops e celulares atualmente. Além de carregar muito mais rapidamente, a novidade é flexível, durável e mais segura do que os principais produtos existentes, que ocasionalmente podem explodir ou pegar fogo.

"Nossa bateria tem tudo o que uma bateria dos sonhos deve ter: eletrodos de baixo custo, boa segurança, carregamento de alta velocidade, flexibilidade e ciclo de vida longo," explica Hongjie Dai, professor de química da universidade que lidera a pesquisa. Baterias comuns usadas hoje duram cerca de 1.000 ciclos, enquanto o protótipo de Stanford pode aguentar mais de 7.500 ciclos sem perda de capacidade.

Apesar de oferecer uma tensão mais elevada do que qualquer outra à base de alumínio, a descoberta ainda produz menos tensão do que as baterias de lítio, que normalmente são de 3,7 V ou 4,2 V. Para ser produzida em massa, a nova bateria deve igualar ou superar estes valores. O professor Dai não acredita que isso seja impossível. "Melhorar o material do cátodo poderia, eventualmente, aumentar a densidade de tensão e energia", conta.

Entenda como funciona a descoberta:

Fonte: Olhar digital