Consumidores moderados de álcool têm saúde melhor, diz estudo

O que contaria são fatores indiretos, como "relaxamento" e status social

Quem bebe álcool moderadamente em geral tem saúde melhor do que os abstêmios, disseram cientistas franceses nesta quarta-feira (19). Segundo eles, o benefício não tem relação direta com o álcool, e sim com fatores indiretos, como o relaxamento, a realização de mais atividade física e o melhor status social.

"O consumo moderado de álcool é um poderoso marcador de um maior nível social, um status superior de saúde geral e menor risco cardiovascular", disse Boris Hansel, do hospital parisiense Pitié-Salpêtrière, que dirigiu o estudo.

Estudo não aponta uma ligaçãode causa-efeito e não deve ser usado para promover consumoEle salientou, no entanto, que o estudo não aponta uma ligação de causa-efeito e não deve ser usado para promover o consumo do álcool.

O abuso do álcool está associado a várias doenças, inclusive problemas hepáticos e cardíacos e alguns tipos de câncer. A Organização Mundial da Saúde diz que o alcoolismo mata 2,3 milhões de pessoas por ano.

Alcoolismo mata 2,3 milhões de pessoas por anoHansel e seus colegas estudaram quase 150 mil franceses, dividindo-os em quatro grupos - quem nunca bebeu, quem bebia pouco (menos de 10 gramas de álcool por dia, cerca de uma dose), bebedores moderados (10-30 gramas/dia) e bebedores pesados (mais de 30 gramas/dias).

As conclusões foram publicadas na revista "European Journal of Clinical Nutrition", publicada pela "Nature".

Segundo os pesquisadores, bebedores leves e moderados, homens e mulheres, tinham uma saúde geral melhor do que quem nunca bebia ou quem bebia demais.

Principal conclusão é de que o consumo moderado de álcool éum bom indicador de "status social ótimo", e que essa pode ser a principal explicação para a saúde melhor do grupo. Homens que bebiam moderadamente tinham em geral menor risco cardiovascular, menor ritmo cardíaco, menos estresse, menos depressão e menor índice de massa corporal. Também apresentavam resultados melhores em mensurações subjetivas da saúde, como a quantidade de exercícios que faziam.

Os cientistas encontraram tendências semelhantes entre bebedoras moderadas, que tinham menor pressão arterial e cinturas mais finas.

Em ambos os sexos, os bebedores moderados tinham maiores níveis de HDL ("colesterol bom") no sangue.

Hansel disse que isso não significa que o álcool tenha uma influência positiva sobre o colesterol ou proteja o coração.

Segundo ele, a principal conclusão é de que o consumo moderado de álcool é um bom indicador de um "status social ótimo", e que essa pode ser a principal explicação para a saúde melhor desse grupo.

"Essas conclusões sugerem que não é apropriado promover o consumo de álcool como base para a proteção cardiovascular", disse ele, acrescentando que o "prazer" é a melhor justificativa para beber moderadamente.

Fonte: g1, www.g1.com.br