Dicas: Saiba como fazer backup de todos os seus tweets; confira!

Na hora de se lembrar do que já foi dito, o Twitter deixa a desejar. Felizmente há ferramentas que permitem arquivar os Tweets para consulta futura.

O twitstory é um dos serviços que promete acesso fácil ao seu histórico do Twitter. Ele está disponível em duas versões: a gratuita irá mostrar seus tweets nos últimos 30 dias, mas a Pro (que custa apenas US$ 1 por mês) irá mostrar todas os seus 3.200 tweets mais recentes (um limite imposto pelo próprio Twitter). Ambas as versões tem um recurso bastante interessante, que é a integração com o Google Calendar (ainda experimental), iCal ou outros softwares do tipo: basta clicar em um botão em sua página de perfil e seus Tweets serão sobrespostos à sua agenda, como se fossem compromissos. Você pode ver exatamente quando enviou um tweet, quando respondeu, etc.



Na versão gratuita do Twitstory seu histórico é atualizado pelo menos uma vez a cada dois dias. Já na Pro o serviço promete atualização várias vezes ao dia, o que pode fazer a diferença se você faz uso intenso do Twitter. Outra diferença é que a versão Pro permite exportar seus Tweets como um arquivo .CSV, que depois pode ser importado em programas como o Excel ou Microsoft Access. Assim você tem um backup de todas as mensagens.

Uma alternativa gratuita e mais completa é o Tweetake, que pode fazer backup dos seus tweets (novamente, até 3.200), e também de posts de amigos e seguidores (até 10 mil), favoritos e mensagens diretas (200 e 1.000, respectivamente) e gerar um arquivo .CSV contendo todas essas informações. Uma diferença em relação ao Twitstory é que o Tweetake não mantém um backup contínuo, mas sim funciona sob demanda: se você precisar utilizar, deve se lembrar de fazer novos backups de tempos em tempos.

O Archivist oferece um serviço gratuito de arquivamento centrado em pesquisas. Para começar você faz uma busca utilizando seu próprio nome de usuário (from:pcworldbrasil, por exemplo). Ele irá retornar com uma lista com os tweets correspondentes, juntamente com análises do conteúdo (volume de posts, principais palavras, e assim por diante). Essa busca irá retornar primeiros os 500 Tweets correspondentes à pesquisa. Esses dados podem ser salvos (eles continuarão a ser atualizados até o usuário deletá-los) ou compartilhados. 500 Tweets é pouco para um backup completo, mas é uma boa forma de fazer backup dos posts por tema.

Se você é do tipo "faça você mesmo", há como armazenar os tweets em seu próprio servidor web. O TwapperKeeper é um sistema open source baseado em PHP/MySQL que coleta automaticamente todos os seus tweets e copia os mesmos para um banco de dados do seu servidor, que pode ser pesquisado ou organizado em uma página web. A página é atualizada de acordo com os novos posts.

Por fim, se você pensa em salvar mais do que seus tweets, o backupfy permite fazer uma cópia de todas as suas contas de mídias sociais: Twitter, Facebok, Picasa, Gmail, entre outros. Uma conta gratuita possui limite de 1GB de armazenamento: para quem deseja armazenar apenas os posts do Twitter isso é mais do que o suficiente. Há planos pagos que oferecem mais espaço e backups mais frequentes.

Vale lembrar que, ao usar qualquer um desses serviços, é preciso autorizar o acesso dos mesmos à sua conta do Twitter. Se você não ficar satisfeito, esse acesso pode ser revogado a qualquer momento nas configurações do serviço: na interface web do Twitter, clique em seu em seu nome de usuário (no canto superior direito da tela), e depois em Configurações / Aplicativos. Encontre o aplicativo que você não deseja mais usar, clique em Revogar Acesso e pronto!

Fonte: Uol-idgnow