Dirigir com Google Glass pode render multa e até apreensão do veículo

Brasil não tem legislação sobre o tema, mas pode usar mesmo princípio dos DVDs veiculares.

Se você adquirisse um Google Glass amanhã, provavelmente iria testar a novidade onde quer que você fosse. Assim como fazemos quando uma nova categoria de aparelhos chega ao mercado ? lembra-se daquela primeira TV de plasma, que era atração turística para vizinhos e amigos? Pois é. Só que estes óculos podem ter um ?efeito colateral? que ninguém havia pensado até então: ser uma distração ao volante e causar acidentes de carro.


Dirigir com Google Glass pode render multa e até apreensão do veículo

Para quem ainda não conhece o Glass: ele filma, tira fotos, acessa a internet, faz buscas no Google, acessa mapas e faz traduções, entre outros serviços, como mostrar a previsão do tempo e o relógio. Mas parte destas funções exige projetar imagens na própria lente do óculos, obstruindo uma pequena parte da visão.

Nada que comprometa sua visão, como você pode ver na imagem acima. Mas pode, teoricamente, atrapalhar parcialmente o que o motorista enxerga e, mais importante, prender a atenção, como um smartphone prende. E será que isso prejudica o controle do carro?

Como o Glass ainda nem está disponível para testes ? e muito menos chegou ao mercado ? não é possível (ainda) reproduzir a situação para ver quais os riscos reais. E, como afirma o Contran (Conselho Nacional de Trânsito) ao site R7, também não foi feita legislação sobre o tema, que é novidade.

? Assim como ocorreu com os aparelhos de DVD veiculares, este dispositivo deverá ser objeto de estudo por parte das Câmaras Temáticas do Denatran para, posteriormente, ser apresentado aos conselheiros do Contran para regulamentar a questão. Mas não se fala em prazo.

No entanto, se alguém fosse flagrado dirigindo com um Google Glass hoje, ?estaria sujeito às penalidades previstas no Código de Trânsito Brasileiro?, explica o órgão.

Fonte: r7