Senhas vazadas por hackers leva a enxurrada de golpes online

Vítimas são informadas sobre gastos que não fizeram e perfis em redes como Facebook ganham imagens pornográficas.

Debbie Crowell nunca comprou um iPhone. Mas, graças ao grupo de crackers (hackers que usam seu conhecimento para crimes) Lulzsec, ela passou boa parte da quinta (16/6) tentando cancelar um gasto de 712 dólares na loja Amazon por conta da compra de um celular que ela não adquiriu.

Ela é uma das 62 mil pessoas que tiveram suas informações, incluindo senhas, reveladas pelo Lulzsec na quinta, no mais recente caso da onda de ataque de hackers, que já atingiu o FMI, o Senado dos EUA, a Sony, o Citigroup, e a CIA.



Não se sabe exatamente de onde a lista de endereços de e-mails e senhas veio. Mas, pelo menos 12 mil deles têm como origem o Writerspace.com, um fórum de escritores e leitores de livros de mistério e romances. A equipe técnica do serviço tenta, no momento, descobrir como aconteceu a invasão. Além disso, está entrando em contato para alertar seus usuários, segundo a proprietária do Writerspace, Cisssy Hartley.

Na lista de 62 mil e-mails e senhas capturados estão funcionários de grandes empresas, como IBM, além de pessoas que trabalham em várias áreas do governo dos Estados Unidos. Há membros do Exército, Marinha, Aeronáutica, e setor de telecomunicações.

Depois da divulgação da lista, começaram a surgir no Twitter relatos de pessoas que afirmam ter conseguido acessar contas de outros internautas de redes sociais e de redes de games online.

?Entrei na Xbox Live, no Paypal, no Facebook, Twitter, YouTube, TUDO?, escreveu uma pessoa que se identificou como Niall Perks. ?O idiota usava a mesma senha para todos os serviços!?, completou.

Também há notícias de contas do Facebook invadidas que tiveram fotos pornográficas publicadas em suas páginas.

Fonte: Uol-idgnow