Em queda nas vendas, iPod da Apple faz 10 anos; confira trajetória

Em queda nas vendas, iPod da Apple faz 10 anos; confira trajetória

O primeiro modelo de iPod tinha capacidade de 5 GB.

Steve Jobs apresentou o primeiro iPod em 23 de outubro de 2001. Na época, o ex-presidente da Apple disse que mais de 1 mil músicas com qualidade de CD poderiam ser guardadas no ultra-portátil tocador, projetado para caber no bolso. ?Com o iPod, a Apple inventou uma nova categoria de tocador que permite colocar toda sua coleção no bolso para ouvir em qualquer lugar. Ouvir música nunca mais será igual?, disse Jobs há 10 anos.

O primeiro modelo de iPod, na época compatível apenas com computadores Macintosh, tinha capacidade de 5 GB e chegou às lojas dos Estados Unidos em 10 de novembro por US$ 400. Hoje, a Apple vende quatro modelos de iPods que custam a partir de US$ 50 e tem até 160 GB de memória.

Nesses 10 anos, mais de 300 milhões de iPods foram vendidos. Segundo Tim Cook, novo presidente da companhia, a Sony levou 40 anos para comercializar 220 mil Walkmans. Apesar das especulações de que a Apple iria interromper a fabricação de iPods, Cook disse que mais de 45 milhões de tocadores foram comprados entre 2010 e 2011.

Impulsionou o mercado da música digital

Antes do iPod, nenhum outro tocador de mp3 tinha se popularizado. O tocador da Apple foi o catalisador da música digital. ?O Napster ? programa de compartilhamento de arquivos ? ajudou a popularizar o hábito de compreender a música como um arquivo não palpável. Sem o Napster, não existiria a cultura que o iPod ajudou a difundir?, explica Pablo Miyazawa. ?Antes, ouvir música era bem diferente, exigia certa estrutura, que o iPod ajudou a descomplicar?.

Permitiu carregar milhares de músicas em um só lugar

O iPod foi lançado em 2001 prometendo "mil músicas no seu bolso". Sem os tocadores digitais, os usuários precisavam carregar estojos de CDs, que ocupavam muito espaço. ?Eu viajava com uma bolsa que cabiam 25 CDs e levava mais de 50 fitas cassete, pois não era permitido escutar CDs nos voos. Era um peso danado e me dava problemas na coluna?, explica Ed Motta. ?Quando saiu o iPod de 5 GB foi uma maravilha pois cabia uns 50 discos?.


Em queda nas vendas, iPod da Apple faz 10 anos; confira trajetória

Permitiu criar listas personalizadas

O iPod trouxe a ideia de criar listas de músicas personalizadas. Usuários de iPod podem ter uma lista para escutar na academia, outra para o trabalho, uma para ouvir no ônibus, etc. ?A maneira de apreciar música mudou. No início de 2000, já era possível customizar a nossa vida musical, com a gravação de fitas e CDs personalizados. Mas o Mp3 facilitou isso. Hoje, todo mundo escuta música, até quem não é fanático?, diz Miyazawa.

Mudou a forma de comprar música

Em abril de 2003, a Apple lançou a loja iTunes para baixar e comprar músicas pela internet a partir de US$ 1. A loja não chegou ao Brasil, mas mudou a forma como os usuários passaram a consumir música no mundo. De acordo com o presidente da Apple, Tim Cook, 16 bilhões de músicas foram baixadas no iTunes desde o seu lançamento. ?Há 30 anos, a única maneira de escutar música era comprando um álbum na loja. Hoje, há diversas alternativas para você apreciar um artista, desde indo a grandes turnês até comprando um show em Blu-ray?, explica Miyazawa.

Foi responsável pela volta do vinil

As pessoas passaram a comprar mais discos de vinil depois do iPod. Segundo Ed Motta, o iTunes se tornou uma fonte de pesquisa enorme e, por causa das músicas digitais, a procura por discos de vinil aumentou, deixando-os mais caros. Para Pablo Miyazawa, a volta do vinil está mais relacionada ao culto à nostalgia. ?Também acho que o iPod tenha certa influência, se você levar em consideração que a música no formato Mp3 tem uma qualidade menor. A busca pelo vinil está ligada à busca por uma fidelidade maior de som. Mas os usuários comuns não percebem as diferenças?.

Popularizou os tocadores digitais

Antes do iPod, outros tocadores de Mp3 eram vendidos no mercado. Mas foi o aparelho da Apple que despertou a atenção dos consumidores para essa necessidade. ?As pessoas não sabiam que elas precisavam carregar todos os seus discos no bolso. Na época, já existia o advento do Mp3. A Apple criou o iPod a partir de uma facilidade tecnológica que já estava disponível?, explica Miyazawa. ?A jogada da Apple sempre foi apresentar um produto no momento que as pessoas estavam realmente precisando dele?. Para Ed Motta, a qualidade de som do iPod é superior ao de outros tocadores. Por isso, o músico ripou parte da sua coleção de discos de vinil para poder escutá-la em viagens. ?Confio na Apple, eles são o ?crème de la crème? da informática?.

Possibilitou comprar faixas separadas

O formato de música digital possibilitou que os usuários carregassem apenas as músicas que gostam, e descartassem as desconhecidas que vêm no CD. ?Existe o fato de você poder baixar apenas a música que está interessado ou ripar aquela canção que gosta. O formato facilitou isso?, diz Miyazawa. Já Ed Motta discorda que isso seja uma vantagem. ?Prefiro ter um disco ruim de um artista do que ter uma música boa. Mas as pessoas que tem iPod olham isso como uma vantagem?. O músico afirma baixar as músicas para escutar no iPod, e, quando gosta do artista, sempre compra os discos.

Diminuiu a aparelhagem de sons

Com o iPod, surgiram os docks, aparelhos de som que permitem encaixar o iPod para reproduzir todas as músicas do tocador. ?Antigamente, uma festa em garagem era muito elaborada, precisava pegar emprestado o tocadiscos do pai com as caixas de som enormes. Hoje, um único dock ligado a um iPod já resolve isso?, diz Miyazawa.

Fonte: G1