Estudo do Ipea mapeia perfil do consumidor online brasileiro

Na lista de variáveis que determinam propensão ao consumo via web, a experiência com vírus e malwares tem mais peso que o uso das redes sociais.

O Ipea procurou descrever um perfil do brasileiro que consome online ? grupo que, segundo os dados apresentados, representa 19% do total de internautas do país - e, também, fornecer mais detalhes sobre um setor que, entre 2003 e 2008, viu seu faturamento crescer 145%.

Em relação ao perfil dos usuários, a pesquisa apurou que, dos 63 milhões de internautas que o país tinha em 2009, cerca de 19%, ou 11,97 milhões, são compradores pela Internet. O Sudeste é a região que tem a maior fatia de internautas que consomem online: 23%. Em seguida vêm as regiões Sul (20%), Norte e Centro-Oeste (com 19% cada) e Nordeste (12%).

Nas áreas urbanas, a fatia de compradores online é maior que nas áreas rurais. Dos internautas urbanos, 20% compram na web. Entre os que moram nas zonas rurais, esse índice é de 9%.

Em termos de classe econômica, a que mais consome online é a A (59%). A classe B responde por 33% das compras online e a C ? na qual, segundo o IBGE, já se encontra a maior parte da população - tem 13%. Dos internautas das classes D e E, juntas, 5% dos indivíduos já compraram online.

Na categorização por idade, a maioria dos internautas que compram online (29%) está na faixa entre 35 e 44 anos. Os grupos de internautas entre 25 e 34 anos e entre 45 e 49 anos têm o mesmo peso ? 26% - enquanto internautas entre 16 e 24 anos formam 18%. Além disso, o porcentual de internautas homens que compraram online (22%) é maior que o de mulheres (17%). E a maioria (41%) afirmou ter ensino superior.

Fonte: Uol-idgnow