Facebook bloqueia usuárias seminuas na Marcha das Vadias

Facebook bloqueia usuárias seminuas na Marcha das Vadias

A marcha pretende chamar a atenção para os diversos tipos de violência sofridos pelas mulheres.

O Facebook bloqueou a conta de manifestantes da Marcha das Vadias após elas terem publicado na rede social fotos em que apareciam com os seios à mostra.

A marcha, que ocorreu neste sábado (26) em algumas cidades brasileiras, pretende chamar a atenção para os diversos tipos de violência sofridos pelas mulheres.


Facebook bloqueia usuárias seminuas na Marcha das Vadias

Pelo menos duas manifestantes em São Paulo e uma no Rio tiveram seus perfis bloqueados e ficaram impossibilitadas de interagir na rede social temporariamente, segundo uma usuária que foi censurada. Era possível entrar no Facebook, mas não compartilhar nenhum tipo de conteúdo no site.

Em Belo Horizonte, a página oficial da marcha na cidade publicou nota dizendo que fotos publicadas na rede social também foram censuradas.

Procurada, a empresa não quis se pronunciar. A assessoria de imprensa disse que o Facebook não se manifesta sobre casos específicos.

A militante do movimento feminista Luka Franca, 26, teve seu perfil bloqueado por 24 horas após publicar uma foto sua, ao lado de sua filha, de 3 anos, com os seios descobertos.

"Eu coloquei a foto no domingo à tarde. Quando entrei no Facebook no dia seguinte, pela manhã, meu perfil estava bloqueado", diz Franca. "Eu podia apenas entrar no bate-papo e aprovar pedidos de amizade. Só percebi quando fui "curtir" o que um amigo tinha publicado".

Segundo Luka, a foto havia sido publicada em um álbum privado.

Segundo os padrões da comunidade da rede social, "o Facebook tem uma política rígida contra o compartilhamento de conteúdo pornográfico e impõe limitações à exibição de nudez".

Para a foto ter sido excluída --e a usuária, bloqueada--, pelo menos um usuário denunciou a publicação das fotos no site. Para definir o que pode ou não ser considerado pornográfico ou nudez, cada caso é avaliado separadamente.

Na mesma página, a rede social diz que "se você encontrar algo no Facebook que considerar uma violação aos nossos termos, informe-nos". Apesar do pedido, há a ressalva que "denunciar um conteúdo não garante que ele será removido do site".

Quando bloqueado, um usuário fica impedido de acessar diversas funções do site temporariamente, como publicar, compartilhar ou "curtir" uma publicação ou um compartilhamento feito por terceiros. Caso o perfil seja reincidente por mais duas vezes, a conta é desativada.

"É tipo um colégio marista", diz a militante. "Se você tomar três suspensões, na terceira você é expulsa."

Ela diz que, como forma de protesto, um amigo compartilhou a mesma foto na rede social. "Ela [a foto] ficou quase o dia todo no ar, mas depois foi removida", diz. "Ele não foi bloqueado, só retiraram a foto do perfil dele. Eu e a Paula Lion [outra usuária que teve o mesmo problema] ficamos 24 horas bloqueadas".

Fonte: Folha Online, www.folha.com.br