"Facebook de robôs" quer ajudar autômatos a serem mais espertos

Os robôs podem se tornar mais sociáveis agora que possuem sua própria rede de relacionamentos, o MyRobots, site chamado de "Facebook para robôs"



Os robôs podem se tornar mais sociáveis agora que possuem sua própria rede de relacionamentos, o MyRobots, site chamado de "Facebook para robôs". A rede lançada nesta semana permite que proprietários de robôs inscrevam seus autômatos, criem perfis com foto e nome para, posteriormente, seus robôs atualizarem o status. As informações são da New Scientist. Segundo explicou o coordenador do projeto Carlos Asmat, de Montreal, no Canadá, ao contrário do Facebook, que os seres humanos usam para falar de aspectos mundanos, o MyRobot.com quer ajudar os autômatos a se tornarem mais espertos.

"É possível enxergar o MyRobots.com como o Facebook para robôs e objetos inteligentes", disse Asmat. O pesquisador dá um exemplo de como eles ficariam mais espertos com ajuda da rede social: pense na interação entre um fogão e uma geladeira, inscritos no site, e que atualizariam seus status quando fossem utilizados, e um robô humanoide que percebe que há muita gente na casa. No dia seguinte, o robô aspirador poderia deduzir, dos status atualizados no site pelo fogão, pela geladeira e pelo outro robô, que houve uma festa na casa e limpá-la sem receber ordem de um humano.

"Estes exemplos podem ser vistos como ficção científica no momento, mas estão muito perto de se tornar uma realidade", disse Asmat. Por enquanto, o site está com cadastro aberto apenas para o robô Nao, feito pela Aldebran Robotics na França, e para dispositivos que funcionam com o microcontrolador Arduíno.

De acordo com a revista, esse não é o primeiro esforço para melhorar a comunicação dos robôs via internet. O RoboEarth foi criado para ser a World Wide Web (WWW) dos robôs. A ideia era que os criadores dos autômatos subissem para a internet suas experiências com a resolução de uma tarefa específica, permitindo aos demais robôs e inventores aprender com esses dados. A diferença desse serviço para o MyRobots.com é que ele é voltado para os consumidores. "Nosso foco principal é oferecer serviços que aumentam o desempenho do robô para os usuários finais de uma forma amigável", disse Asmat.

No futuro, Asmat quer inclusive criar uma loja de aplicativos na nuvem para que os recursos dos robôs se mantenham livres.

Fonte: Terra, www.terra.com.br