Facebook expande teste de mensagens pagas a 36 países

Facebook expande teste de mensagens pagas a 36 países

Os valores, segundo o Facebook, são baseados no número de fãs.

O Facebook começou a testar no Reino Unido nesta semana o sistema de mensagens pagas, que já está funcionando em beta nos Estados Unidos desde dezembro passado. Segundo o Guardian, além da Inglaterra outros 35 países no mundo estariam participando do teste.

O serviço serve para fazer chegar à caixa de entrada de alguém que não é amigo nem amigo de amigo uma mensagem que, se fosse gratuita, seria enviada à pasta "outros" da inbox. Por exemplo, escrever para o nadador olímpico Tom Daley custa 10,68 libras. Para a namorada do príncipe Harry, Cressida Bonas, por outro lado, custa 0,71 libra - valor mínimo por lá.

Os valores, segundo o Facebook, são baseados no número de fãs, mas também em um algoritmo de fama "secreto" e em outros itens não mencionados. "(A ferramenta) está sendo testada com um número muito pequeno de usuários. Não há um cronograma de expansão. Depende do que acontecer, do feedback que recebermos, se vamos lançar nacionalmente", afirmou um porta-voz do Facebook ao Guardian.

"Estamos testando algumas faixas de preço no Reio Unido e em outros países para estabelecer o melhor preço que indique importância. Isso é apenas um teste e esses preços não são sólidos como rocha (sic)", concluiu.

O porta-voz na Europa, Iain Mackenzie, complementou que a ideia das mensagens pagas não é se tornar um "barômetro de fama". "(Os preços) não são uma escala flutuante baseada na fama. Não é possível inferir o nível de "celebridade" de uma pessoa a partir dos números", reforçou à publicação.

Em janeiro, o Facebook foi ridicularizado por cobrar US$ 100 para quem quisesse usar a ferramenta para mandar uma inbox a Zuckerberg.

Fonte: Terra