Facebook libera usuário a se identificar como transexual

Identidade de gênero no Facebook agora não se limita a "masculino" e "feminino".


A partir desta segunda-feira (02) os usuários do site Facebook possuem mais opções para informar sua identidade de gênero. Atualmente existem os tradicionais “masculino” e “feminino”. No entanto, identidade de gênero no Facebook agora não se limita a "masculino" e "feminino".

A nova ferramenta já está disponível e conta com a opção de gênero “personalizado”. Ao selecionar essa alternativa, o usuário pode preencher um campo com a identidade de gênero que desejar. À medida que o texto é digitado, algumas opções aparecem como sugestão: travesti; homem transexual; mulher transexual; trans homem; trans mulher; homem (trans); mulher (trans); cross gender; transgênero; FtM; MtF. Pessoa transexual; neutro; pessoa trans; sem gênero.

Quem não se identificar com nenhuma das 17 opções sugeridas poderá escrever sua própria identidade de gênero. De acordo com Bruno Magrani, líder de políticas públicas do Facebook Brasil, a criação da ferramenta - já disponível para usuários dos Estados Unidos desde abril de 2014 - é uma resposta a “anseios” da comunidade LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros).

“A ideia do Facebook é dar cada vez mais liberdade para as pessoas se expressarem de forma autêntica”, disse Magrani durante evento de apresentação da nova ferramenta, nesta segunda.

Privacidade

Quanto à privacidade, o Facebook deixará o usuário escolher se quer que a informação seja pública ou privada. Para o deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ), que é autor de um projeto de lei sobre identidade de gênero e foi convidado pelo Facebook a participar da criação da ferramenta, nem todo mundo quer ou está preparado para a “visibilidade de gênero”.

“Sou contra tirar as pessoas do armário compulsoriamente”, disse Wyllys. “A questão é a liberdade. O Facebook não quer impor nada às pessoas”, completou Magrani. Outra novidade diz respeito ao pronome utilizado pela rede social para identificar o usuário.

A partir de agora, o usuário pode decidir se quer que o Facebook se refira a ele no masculino, no feminino ou de forma neutra. Por exemplo: "Deseje feliz aniversário a ela / a ele" ou "Deseje-lhe feliz aniversário". Essa informação, ao contrário da identidade de gênero, será necessariamente pública.

Fonte: Terra