Falha no Facebook expôs informações pessoais de 6 milhões de usuários

Uma falha no Facebook permitia que ao baixar informações da rede social, alguns usuários tivessem acesso a dados pessoais de outros.


Falha no Facebook expôs informações pessoais de 6 milhões de usuários da rede

Uma falha no Facebook permitia que ao baixar informações da rede social, alguns usuários tivessem acesso a dados pessoais de outros. De acordo com a rede social em post publicado no blog de segurança da companhia (em inglês) nesta sexta-feira (21), aproximadamente 6 milhões de perfis da rede tiveram seus e-mails ou números de telefone compartilhados. O Facebook afirmou que o problema já foi corrigido.

"Por causa da falha (...), se uma pessoa baixasse suas informações do Facebook por meio da ferramenta "Download your information", ela poderia ter acesso ao e-mail ou telefone de perfis com as quais ela mantêm contato na rede", explica o post.

Para a maioria dos e-mails ou telefones "vazados", cada endereço ou contato telefônico foi incluído em apenas um ou dois downloads. Dessa forma, diz o Facebook, apenas uma pessoa teve acesso a esses dados. Além disso, a rede reforça que informações pessoais ou financeiras não foram alvos da falha.

"Isto [a falha] nos deixou transtornados e envergonhados. Nós trabalharemos em dobro para ter certeza que fatos como este nunca ocorram novamente. A sua confiança é o mais importante bem que temos, e estamos comprometidos em melhorar nossos procedimentos de segurança e manter segura as informações dos usuários", informa a mensagem no blog da companhia.

De acordo com a rede social, eles ainda não têm conhecimento se esta falha foi usada por cibercriminosos e que ainda não recebeu reclamações de usuários sobre isso. Segundo um porta-voz do Facebook consultado pelo site americano "Cnet", a rede social já notificou órgãos reguladores dos Estados Unidos, do Canadá e da Europa sobre o problema.

O Facebook informa que os usuários afetados pela falha vão receber um e-mail explicando o que ocorreu e quais pessoas tiveram acesso às informações.

Fonte: UOL