França estabelece medida que proíbe e-mails de trabalho após o expediente

De acordo com o jornal The Guardian, a medida se aplicará a empresas de tecnologia, como Google e Facebook

Um acordo assinado entre sindicatos de trabalhadores e patronais na França livrará os funcionários de responder e-mails de chefes após o horário do expediente.

De acordo com o jornal The Guardian, a medida se aplicará a empresas de tecnologia, como Google e Facebook, além de consultorias, como Deloitte e PwC.

Cerca de 1 milhão de trabalhadores serão instruídos a desligarem os telefones corporativos logo que deixarem a empresa e evitarem acessar as contas por computadores ou tablets. Um estudo apontou que 39% dos funcionários e 77% dos gerentes usam os aparelhos com objetivos profissionais durante a noite, finais de semana e férias.

A França tem um histórico de leis trabalhistas que reduzem a pressão sobre os empregados e foi o primeiro país a adotar uma jornada semanal de 35 horas, em 1999. Segundo o jornal The Times, a redução da jornada de trabalho não cumpriu a expectativa de diminuir o desemprego, mas é altamente popular entre os franceses.

Fonte: Terra