Curta baseado em jogos da Nintendo é produzido pelo criador de 'Super Mario'

“Eu não mudei. Mas à medida que os gráficos de computador ficaram melhores, comecei a sentir que isso é algo com o qual posso me envolver”, disse ele à Reuters em uma entrevista.

O criador do “Super Mario Bros”, Shigeru Miyamoto, já produziu alguns dos maiores jogos de videogame do mundo nas últimas três décadas, mas agora acrescentou uma produção cinematográfica à sua longa lista de créditos.

Miyamoto revelou no Festival Internacional de Tóquio, no fim de semana, seu mais recente projeto, “Curtas-metragens PIKMIN”, uma animação em 3D baseada em personagens de um jogo da Nintendo que leva o mesmo nome.

Ele disse ter fugido, durante anos, de pedidos para fazer filmes com personagens Nintendo, mas cedeu às possibilidades cinematográficas por causa dos avanços tecnológicos, embora não tenha intenção de abandonar o mundo dos games para entrar no setor de cinema.

“Eu não mudei. Mas à medida que os gráficos de computador ficaram melhores, comecei a sentir que isso é algo com o qual posso me envolver”, disse ele à Reuters em uma entrevista.

“Fazer filmes no passado era algo a ser feito com uma gama de habilidades totalmente diferente, mas agora eu sinto que ela me é familiar”, disse Miyamoto, um diretor sênior da Nintendo.

A série de jogos “Pikmin”, da Nintendo, lançada em 2001, conta a história do astronauta Capitão Olimar e das criaturas multicoloridas Pikmin, em um cenário onde eles coletam itens, desviam de obstáculos e combatem monstros. A série está em sua terceira edição para o console Nintendo Wii U.

O curta-metragen “Pikmin" é um vídeo de 23 minutos com algumas das histórias do jogo. Miyamoto descreveu o filme como um projeto que busca expandir o mundo dos videogames e levar mais vida aos personagens Pikmin. Ainda serão decididos planos para distribuição do filme.

Ele disse não ter planos agora para filmar mais filmes baseados nos Pikmin ou em outros personagens da Nintendo, mas deixou as portas abertas, dizendo que “tecnicamente, há várias coisas que podemos fazer”.


Clique e curta o Portal Meio Norte no Facebook

Fonte: G1