Google Mais tenta emplacar e roubar liderança do Facebook

Google Mais tenta emplacar e roubar liderança do Facebook

m ano após sua estreia, rede social pode se tornar um conector para todos os serviços da Google.

O Google+ está alcançou um marco importante nesta semana. A novata rede social do Google atingiu seu primeiro aniversário. Isso mesmo, há um ano a gigante lançou sua própria rede social. E enquanto ele é um concorrente distante para a rede social mais acessada do mundo, o Facebook, Google+ está encontrando seu próprio nicho de atuação - ela está se tornando o centro de todos os serviços da Google.

"O Google+ está no centro dos nossos esforços para criar uma simples e mais intuitiva experiência para todos os usuários do Google", disse o vice-presidente sênior de engenharia da Google, Vic Gundotra, durante uma palestra matinal na conferência para desenvolvedores Google I/O na quarta-feira (25/6). "Queremos apresentá-la como uma experiência única e não um monte de produtos desconectados."

Embora o Google+ tenha atingido seu aniversário na quinta-feira (28/6), houve muito pouco para se falar da rede social e nenhuma única menção sobre isso durante as palestras na Google I/O daquele dia.

No entanto, na quarta-feira, primeiro dia da Google I/O, que é a maior conferência do ano da empresa, a gigante anunciou uma versão do Google+ para tablets Android e uma para iPad. O Google+ também lançou o recurso "Eventos", o qual é conectado ao serviço do calendário do Google.

Gundotra disse à plateia que a rede social tem agora 150 milhões de usuários ativos mensais e cerca de 75 milhões de usuários diários. Um ano após o lançamento, esses números ainda deixam Google+ bem atrás de seu principal rival, o Facebook, que possui cerca de 800 milhões de usuários em todo o mundo.

Ainda longe do líder

Mas, de acordo com Patrick Moorhead, analista da Moor Insights & Strategy, isso não é toda a história para o Google+. "Como uma rede social autônoma, o Google+ não está nem perto de se comparar ao Facebook ou ao Twitter, mas isso não é necessariamente o ponto", disse Moorhead. "O Google+ é a base para todas as coisas que conectam o Google. É a cola que mantém tudo unido. Mas para os números, está mais para uma RC Cola e não para uma Pepsi, no que se refere a competir com a Coca-Cola."

Essa definição se encaixa perfeitamente com o que Larry Page, co-fundador e CEO da Google, disse em outubro passado. Page, durante um relatório de lucros da empresa para o terceiro trimestre, disse que pretende usar o Google+ para transformar toda a experiência do Google.

"A nossa última ambição é transformar a experiência global do Google, tornando-o maravilhosamente simples, quase automática, porque entendemos o que você quer e podemos entregar isso imediatamente", disse Page. "Isso significa criar uma identidade e compartilhá-la em todos os nossos produtos, para que possamos construir um relacionamento real com os nossos usuários. Compartilhando na rede será como compartilhar na vida real todas as suas coisas."

E a empresa rapidamente começou a se mover nessa direção. No semestre passado, o Google iniciou a integração do Google+ com o Google Apps. Na época, um porta-voz disse em que engenheiros do Google trabalharam "rápida e furiosamente" para trazer recursos do Google+ para o Google Apps.

Dan Olds, analista do Gabriel Consulting Group, observou que o Google parece estar olhando para produzir recursos sociais e colaborativos para o Google+ por meio de sua linha de produtos, mas ele não tem certeza de que a rede social está à altura das expectativas da própria empresa.

E isso, acrescentou, poderia ser o porquê não haver conversas excitantes em torno do Google+ esta semana - apesar de seu grande aniversário. "Eles poderiam estar cientes de que não têm muito do que se gabar", disse Olds. "O bebê deles não está andando ou conversando ainda e, realmente, nem rastejando tanto. O Google+ não viu nada perto do crescimento meteórico que esperavam ou desejavam. Mas isso poderia ter sido o momento perfeito para fazer alguns anúncios sobre a rede social e, talvez, reacender alguma chama."

Moorhead, no entanto, disse que o Google+ tem feito progressos e está em um bom caminho. "O que eles precisam mostrar é o quão longe eles têm chegado em um ano" observou ele. "Quando você comparar com Facebook e o Twitter, um ano em desenvolvimento do Google+ parece ótimo. Google+ precisa mostrar como a integração melhora a experiência."

Fonte: Uol-idgnow