Harlem Shake em voo pode ser investigado por autoridades; vídeo

Harlem Shake em voo pode ser investigado por autoridades; vídeo

Com a a explosão dos vídeos de Harlem Shake em fevereiro, muitos internautas tem procurado fazer vídeos da brincadeira cada vez mais criativos e inus

Em 15 de fevereiro, uma equipe norte americana de frisbee estudantil do Colorado procurou inovar organizando um vídeo de Harlem Shake em pleno voo. Porém a Federal Aviation Administration (FAA), órgão responsável pelos regulamentação dos voos dos EUA, não gostou do que viu no vídeo, que já tem quase 4 milhões de visualizações no YouTube.

Com a a explosão dos vídeos de Harlem Shake em fevereiro, muitos internautas tem procurado fazer vídeos da brincadeira cada vez mais criativos e inusitados. Várias empresas já fizeram diferentes versões, assim, a originalidade não se restringe às fantasias, mas também os locais onde são feitas as gravações.

Pensando em inovar com uma filmagem em pleno voo comercial que estudantes norte americanos mobilizaram todos os passageiros e a tripulação do voo 157 da Frontier Airlines para executar a dança dentro da aeronave enquanto sobrevoavam a imensidão do Grand Canyon, Arizona.

No entanto, a FAA se mostrou preocupada com a brincadeira, e sem mencionar nenhuma infração específica, a organização está analisando se a quantidade de passageiros pulando no corredor da aeronave viola as normas de segurança de voo da aviação civil e se o sinal de cinto de segurança estava ligado ou não no momento da gravação.

Em uma entrevista para o The Catalyst, Matt Zelin, o estudante que gravou o vídeo, disse que seu grupo pediu permissão para a tripulação, que lhes garantiu que os movimentos da dança não representariam perigo. Ainda segundo um dos capitães da equipe de frisbee, ?Nós estivemos em segurança o tempo todo?, afirmou Gavin, que completa, ?eu não me arrependo?.

Em um pronunciamento para o The Verge a Frontier Airlines confirmou que o sinal de cinto de segurança não estava ligado e que todas as medidas de segurança foram tomadas. Resta aguardar a conclusão das analises do FAA para saber se o órgão ficou satisfeito com as explicações dadas.

Fonte: Tech Tudo