Internet está longe de compensar perdas de edições de jornais

O estudo foi realizado do fim de 2010 ao final de 2012 graças a dados comerciais confidenciais.

A receita obtida na internet pelos jornais americanos está longe de compensar o recuo das edições impressas, indica um estudo divulgado nesta terça-feira. "Para cada US$ 1 ganho na edição digital, US$ 7 são perdidos em receita no papel", conclui este estudo do Pew Research Center.

O estudo foi realizado do fim de 2010 ao final de 2012 graças a dados comerciais confidenciais fornecidos por 38 jornais pertencentes a seis grupos diferentes. Juntos, esses títulos obtêm ainda 92% de suas receitas graças à edição impressa.

"Um sentimento generalizado é que quinze anos depois do início da transição digital, os dirigentes ainda têm a impressão de estarem no começo de uma reflexão sobre a maneira de proceder" frente à erosão da clientela tradicional, indicou o Pew Research Center, depois de ter consultado os dirigentes da imprensa.

"Nossas pesquisas revelam um setor que ainda não avançou muito para um modelo econômico que substitua o modelo tradicional outrora próspero, enquanto até a receita publicitária global dos jornais caiu mais da metade em apenas alguns anos", explicou.

"O setor reagiu a essas perdas aumentando o preço das assinaturas. Mesmo dessa maneira, a receita total dos jornais está em queda de mais de 40% na década passada", acrescentou o centro de pesquisas.

De acordo com os autores do estudo, os jornais que se saem melhor são aqueles capazes de propor aos anunciantes alvos precisos entre os seus leitores na internet. Mas apenas 40% deles afirmaram que esta era "uma parte importante de seu método de venda".

Fonte: Terra