Jornal especula que YouTube vai lançar serviço pago de streaming

Jornal especula que YouTube vai lançar serviço pago de streaming

O serviço será lançado ainda em 2013 e valerá para música e vídeo, segundo fontes internas que não quiseram se identificar.

O YouTube está se preparando para lançar um modelo de assinaturas no site que permite aos usuários ouvir músicas sem interrupções ou publicidade, diz o The New York Times. O serviço será lançado ainda em 2013, segundo fontes internas que não quiseram se identificar.

A informação foi dada ao jornal americano por pessoas ligadas ao Google, mas que não teriam permissão para discuti-las publicamente em entrevistas. O serviço planeja cobrar cerca de US$ 10 (ou R$ 22, aproximadamente) mensais e ser direcionado a dispositivos móveis, permitindo que os usuários vejam os vídeos ou apenas ouçam as músicas nos celulares.

A empresa não comenta rumores e disse apenas que ?está sempre trabalhando novas e melhores formas para que as pessoas aproveitem o conteúdo do YouTube e dando mais oportunidades para que seus parceiros se comuniquem com seus fãs". Entretanto, o Google, dono do site de vídeos, disse que, no momento, o Youtube não tem "nada para anunciar?.

O NYT aponta que o crescimento expressivo dos acessos por dispositivos móveis é um dos fatores que podem ter levado o Google a cogitar assinaturas. Em dois anos, o número subiu de 6% para 40%. O problema é que os índices de publicidade em tablets e smartphones é menor, o que levou algumas gravadoras a bloquear os conteúdos nestes dispositivos.

Para tornar o serviço possível, o Youtube já teria firmado contratos com gravadoras como Sony, Universal e Warner, além de gravadoras independentes e menores, diz o jornal.

O YouTube já tem diversos concorrentes como Rdio e Deezer, conquistando usuários, inclusive no Brasil. O especialista em mídia Ricard Greenfield lembra que o YouTube é o maior sistema de buscas por músicas do mundo. ?Certamente existem pessoas que pagariam para usar o YouTube. O desafio é criar uma boa experiência para o usuário?, afirma.

Fonte: tech tudo