"Mercado paralelo" de perfil falso no Facebook usa até foto de gente morta

"Mercado paralelo" de perfil falso no Facebook usa até foto de gente morta

Criar um perfil falso no Facebook para espionar o namorado ou bisbilhotar páginas alheias pode parecer uma atividade ingênua e sem grandes consequências. Porém, essa curiosidade excessiva acaba alimentando um "mercado paralelo" na internet: o dos sites de fotos para perfis falsos.

As imagens são recolhidas de páginas reais em redes sociais, deixadas desprotegidas pelos usuários, e acabam em sites que faturam com os anúncios inseridos neles e até com a venda do conteúdo. O dono da foto muitas vezes nem sabe que ela está sendo usada e, pior, pode acabar tendo de responder por eventuais ofensas e crimes cometidos pelo "fake".

Liane Caron, de Curitiba (PR), soube por acaso que fotos de sua filha, assassinada em 2007 quando tinha 18 anos, eram usadas em dois perfis no Facebook. No primeiro caso, ela foi informada sobre o perfil "fake" via e-mail, em fevereiro deste ano, por um leitor do blog que ela mantém em memória da filha.

No caso do segundo perfil, a denúncia foi feita em um comentário nesse mesmo blog. Ao acessar a página, Liane viu também uma foto de seu próprio perfil no Facebook sendo usada como imagem de capa da conta falsa.

"Fiquei indignada, ainda mais porque minha filha não está presente para se defender dessa agressão. Digo "agressão" pois mexeram com boas memórias e lembranças que ela nos deixou", reclama.

Para tirar os perfis do ar, Liane diz ter contatado, primeiro, a delegacia de crimes eletrônicos da cidade onde mora. Depois, procurou o especialista em crimes digitais Wanderson Castilho, da E-net Security, que indicou um canal de contato no Facebook para que ela pudesse solicitar a retirada do conteúdo.

Castilho explica que, ao investigar a origem das fotos, encontrou imagens da filha de Liane em um site no meio de centenas daqueles que ofertam imagens. "A motivação para a criação de perfis falsos pode ser infinita. Nesse caso, no entanto, a conta era usada para hackear outros perfis no Facebook", diz.

Liane, depois de contatar o Facebook, conseguiu que um dos perfis fosse apagado e aguarda a análise da rede social no caso do segundo. "Para explicar o problema há perguntas pré-definidas que às vezes não se encaixam no problema, como foi o meu caso", reclama.

Por meio de sua assessoria de imprensa, o Facebook afirma que o canal para denunciar de contas falsas, inclusive os que usam uma foto copiada de terceiros, é pelo botão Denunciar/Bloquear, existente em todos os perfis.

Como saber se suas fotos foram usadas

Uma das formas para descobrir se fotos do seu perfil em redes sociais foram usadas é pela busca por imagens do Google.

Salve o arquivo da foto em questão no seu computador e depois arraste o ícone do arquivo até o campo de buscas do site. Ele mostrará imagens semelhantes a ela.

Como denunciar o "fake"

As redes sociais costumam manter canais de denúncia dos perfis falsos. O Facebook coloca um botão em todos as páginas criadas para que seja possível denunciá-los. A queixa é anônima e a rede social afirma não passar de forma alguma seus dados ao perfil denunciado. O andamento do processo pode ser checado na própria rede social. Há também uma página específica para denúncias nos casos em que a vítima não tem uma conta na rede.

Fonte: UOL