Microsoft é processada porque o Surface não tem exatos 32GB

Isso não significa que a Microsoft está vendendo o tablet com a capacidade errada.

Andrew Sokolowski, um advogado da Califórnia, processou a Microsoft alegando que o Surface que ele comprou não tem o espaço para armazenamento anunciado oficialmente. Conforme informações do USA Today, ele adquiriu o modelo com 32GB no começo de novembro, mas percebeu que, após armazenar músicas e documentos, o aparelho ficou rapidamente sem espaço disponível.

Isso não significa que a Microsoft está vendendo o tablet com a capacidade errada. De fato, ele tem 32GB, mas uma parte significativa desse espaço é utilizada pelo próprio Windows e pelas aplicações pré-instaladas. No caso de Sokolowski, só sobraram 16GB.

O processo acusa a companhia de propaganda enganosa e solicita que a empresa reembolse lucros provenientes da prática. A Microsoft, por sua vez, diz acreditar que a ação não tem mérito algum. ?Consumidores entendem que o sistema operacional e aplicativos pré-instalados ficam no armazenamento interno do dispositivo, reduzindo o espaço livre total?, afirmou a gigante em um comunicado oficial. A mensagem ainda lembra que os usuários podem expandir a capacidade usando um microSD.

A Microsoft também aproveitou para confirmar quanto espaço livre existe, de fato, nas duas versões do Surface: a de 32GB conta, na verdade, com 16GB livres enquanto o modelo de 64GB fica com 45GB livres. O advogado do advogado diz que seu cliente nunca viu esses esclarecimentos da empresa e ainda acrescentou que esses detalhes não são visíveis no site oficial. ?Eles fazem você procurar e cavar por isso especificamente, caso contrário, você nunca irá encontrar a informação?, afirmou.

Fonte: UOL