NASA testa web interplanetária que funcionaria em Marte; saiba

Astronauta que está na Estação Espacial Internacional conseguiu usar controle remoto para comandar robô na Terra

A NASA e a Agência Espacial Europeia conseguiram fazer funcionar uma espécie de internet interplanetária, que seria capaz de habilitar a comunicação em Marte e na Lua. No teste, conduzido em outubro e divulgado na quinta-feira, um robô localizado na Alemanha foi comandado via controle remoto a partir da Estação Espacial Internacional.

A transmissão de dados foi feita usando a tecnologia DTN, sigla em inglês para Rede Tolerante a Interrupções, um protocolo criado pela NASA para permitir a comunicação interespacial. "O DTN experimental que testamos da estação espacial pode um dia vir a ser usado por humanos em uma espaçonave na órbita de Marte para operar robôs na superfície, ou da Terra usando satélites como estações de retransmissão", explica Badri Younes, vice-diretor de comunicações especiais e navegação da NASA.

A internet na Terra funciona dividindo os dados em pedaços e usando os nós da rede - muitos e muito próximos - para ir passando a informação do remetente ao destinatário, em uma lógica contínua. Mas no caso de uma conexão interplanetária, a distância entre os nós pode ser muito grande, o que implica em ruptura desse contínuo.


NASA testa internet interplanetária que funcionaria em Marte

O DTN, em vez de pressupor que existe um nó "logo ali" e a comunicação não vai parar, trabalha justamente com a noção de que haverá interrupções, e que a conexão deve ser estabelecida apesar delas. Assim, os dados são deslocados pela rede "pulo por pulo". Quando uma informação atinge um nó, ela fica armazenada nele enquanto espera que outro link esteja disponível, para continuar a transmissão.

"A demonstração mostrou que é possível usar novas infraestruturas de comunicação para enviar comandos a um robô de superfície a partir de uma estação em órbita, assim como receber imagens e dados captados pelo robô", resumiu Younes. O robô de Lego foi controlado do espaço pela comandante da Expedition 33, Sunita Williams.

Fonte: Terra