Procon aciona Nokia por campanha "Perdi meu amor na balada"

Procon aciona Nokia por campanha "Perdi meu amor na balada"

Para diretor do Procon, campanha abusou da confiança do consumidor

O Procon-SP, órgão de defesa do consumidor, abriu um procedimento investigativo para averiguar se a Nokia desrespeitou o código de defesa do consumidor ao lançar o vídeo viral "Perdi meu amor na balada" como parte da campanha publicitária para promover o celular Pure View 808.

O diretor-executivo do Procon-SP, Paulo Arthur Goes, explica que código de defesa do consumidor prevê que toda comunicação publicitária seja claramente identificada, de maneira que o consumidor possa reconhecê-la como tal, por uma "questão de ética".

"Neste caso, abusou-se da confiança do consumidor. Parece ter faltado transparência e boa fé", afirma o diretor. Goes explica que a estratégia do teaser não é vetada, mas ela também deve respeitar a lei de defesa dos consumidores e os princípios de transparência.

Segundo ele, a Nokia está sendo notificada para apresentar esclarecimentos em relação a campanha. O prazo legal é que a investigação seja concluída em até 120 dias. Caso o Procon-SP entenda que houve uma transgressão, a empresa pode receber multa de até R$ 6 milhões.

A Nokia informou que ainda não foi notificada e, por isso, não comentaria o assunto.

Entenda o caso

O vídeo "Perdi meu amor na balada" tornou-se um hit na internet na semana passada. No vídeo, Daniel Alcântara relata que conheceu Fernanda, uma morena de olhos claros, no sábado (7), em uma casa noturna de São Paulo chamada Casa 92, afirma que perdeu o telefone dela e, ao final, pede ajuda para encontrá-la.

Na entrevista ao G1 no dia 10, Daniel Alcântara negou que o vídeo se tratasse de uma peça publicitária. Disse também que não encenou a busca pela garota e que ainda estava atrás dela.

Fernando Sommer, sócio e proprietário da Casa 92, disse ao G1 no dia 10 que foi procurado por Daniel e que ele dizia buscar o telefone de uma garota. Entretanto, o dono do estabelecimento disse que não passou o contato em razão da política de privacidade da casa.

Então, começaram a circular rumores de que o vídeo se tratava de peça publicitária de um site de relacionamentos ou da Nokia. A reportagem ligou para o site de relacionamentos e para a Nokia. Na ocasião, a assessoria da Nokia disse desconhecer qualquer relação da empresa com o viral.

Somente no dia 17 a Nokia divulgou que encomendou para uma agência de publicidade o vídeo protagonizado pelo jovem.

Fonte: G1