Queda: Ações do Facebook desabam 7% novamente e preocupa

Queda: Ações do Facebook desabam 7% novamente e preocupa

Rede social tem visto queda em suas ações desde a estreia na bolsa.

As ações do Facebook despencaram mais de 7% nesta quinta-feira (16), para o menor nível desde a estreia da rede social na bolsa de valores, eliminando mais de US$ 4 bilhões em valor de mercado da empresa depois que o primeiro de vários períodos de retenção de venda dos papéis por detentores que têm relação com a companhia chegou ao fim.

A queda desta quinta-feira elevou a perda total do Facebook desde a estreia do site na bolsa em Maio para pouco menos de 50%, ou US$ 40 bilhões. A ação estreou a US$ 38 e exibia cotação de US$ 19,95 às 12h46 (horário de Brasília).

Mais de 270 milhões de ações foram destravadas, mais da metade dos 421 milhões de papéis vendidos na oferta pública inicial (IPO) de maio.

"Se (o valor de) sua carteira está sendo cortado pela metade, você vai ficar parado e arriscar o resto?", disse Frank Davis, diretor na LEK Securities, em Nova York.

O Facebook, maior rede social do mundo com 955 milhões de usuários, tem visto queda em suas ações desde a estreia que havia definido valor de mais de US$ 100 bilhões para a empresa.

Preocupações sobre o lento crescimento de receita da companhia e sobre sua capacidade de produzir dinheiro com propaganda em aparelhos portáteis como celulares têm pressionado as ações.

Analistas afirmaram que não ficou claro se o movimento de baixa desta quinta-feira está relacionado ao destravamento das ações ou se os acionistas estão vendendo diante das preocupações sobre o impacto potencial das vendas promovidas pelos detentores dos papéis que até agora estavam impedidos de realizar lucro com eles.

Outras 243 milhões de ações serão liberadas para negociação entre meados de outubro e novembro. Em 14 de novembro mais de 1,2 bilhão de papéis da empresa estarão disponíveis para operação. Até lá, o presidente do Facebook, Mark Zuckerberg, não poderá vender suas ações.

Fonte: G1