Robô consegue "prever o futuro" para ajudar o dono em tarefas domésticas

Máquina criada por universidade usa algoritmos para "prever" ação humana

A universidade de Cornell, nos Estados Unidos, está desenvolvendo um robô que, além de ajudar o seu dono em diversas tarefas diárias como trazer uma bebida, alcançar um objeto e abrir a geladeira, por exemplo, consegue prever com precisão qual o tipo de ajuda que o usuário precisará nos instantes futuros.


Robô consegue

O robô consegue ajudar o humano a realizar tarefas como cozinhar, arrumar objetos ou a tomar um remédio.

A tecnologia que faz parecer com que o robô prevê o futuro usa um conjunto de 120 arquivos de vídeo capturados em tempo pelo sensor de movimentos Kinect e que são processados pelo computador do robô que o fazem entender qual a próxima necessidade do usuário. Para isso, foi criada uma série de cálculos matemáticos complicados que calculam os movimentos que o robô "enxerga" do seu dono e, com base nisso, toma a iniciativa de ajudá-lo.

Em um vídeo de teste publicado pelos criadores do robô, o usuário pega uma panela que está em cima da mesa para colocá-la dentro da geladeira. A máquina - que lembra a personagem Rose do desenho animado "Os Jetsons" - vê o que o dono está fazendo e logo "prevê" que ele colocará a panela na geladeira, se dirigindo ao local e abrindo a porta para que o usuário coloque o objeto lá dentro.

Os movimentos captados e entendidos pelo robô incluem pegar e alcançar um objeto, se mover em diversas velocidades, comer e beber. Estas atividades são associadas aos objetos que se encontram ao redor do usuário, permitindo que a máquina acesse possíveis ações futuras e possíveis destinos. Ela também aprende com seus próprios erros no caso de o usuário tomar uma certa decisão, como levar a panela do exemplo anterior para a pia em vez da geladeira, o que tem como objetivo aumentar sua precisão.

De acordo com seus criadores, o robô, ainda sem nome, tem 83,1% de índice de acerto em suas "previsões futuras".

Os criadores ainda afirmam que os cálculos matemáticos que o robô utiliza podem ser usados em outras áreas.

Fonte: G1