Saiba como ganhar dinheiro com aplicativos de smartphone e tablets

Com o crescimento de tais anúncios, uma fatia de usuários começou a se manifestar incomodada com tantos apelos.

Diante da enorme oferta de aplicativos para celulares e tablets com funções parecidas, senão iguais, cobrar pelo uso do apps pode afastar muitos usuários, que optarão pelos grátis. Cabe aos desenvolvedores buscarem meios alternativos de se gerar lucro na atividade da ferramenta, e existem muitas formas para isso. O TechTudo selecionou algumas delas.

Uma forma bastante comum é oferecer funcionalidades exclusivas que podem ser compradas dentro do programa, como itens especiais e vidas extras. Outra alternativa é oferecer o app de graça, mas cobrar uma taxa pelo uso do serviço, seja diária, semanal, mensal ou anual.

A inclusão de propagandas, no entanto, representa a opção mais viável para evitar cobrança dos usuários pelo serviço. Segundo um recente estudo da Universidade de Cambridge, 80% dos aplicativos grátis para Android utilizam-se de anúncios como principal meio de se gerar receita.


Saiba como ganhar dinheiro com aplicativos de smartphone e tablets

Devido ao relativo baixo custo para anunciar, é um bom negócio para diversas empresas mostrarem seus produtos, tendo como consequência um crescimento grande nos últimos tempos. Em 2011, por exemplo, a receita gerada com publicidade ultrapassou os US$ 1,6 milhões, cerca de R$ 3,5 milhões.

Com o crescimento de tais anúncios, uma fatia de usuários começou a se manifestar incomodada com tantos apelos. Por isso, muitos aplicativos disponibilizam a versão paga, com funções exclusivas e sem os anúncios, e uma grátis, mantida por meio de propagandas.

Por menor que seja o valor, é um risco grande disponibilizar um aplicativo pago para smartphones e tablets, devido às possíveis alternativas grátis a ele. Em um mercado acirrado, as propagandas desempenham um papel fundamental na manutenção da gratuidade de diversos programas e serviços. Resta torcer para elas fiquem cada vez menos incômodas aos usuários.

Fonte: tech tudo