Tablet da Google será bem mais barato do que iPad, garante CEO

Tablet da Google será bem mais barato do que iPad, garante CEO

Larry Page lembra do sucesso do Kindle Fire, que custa 200 dólares, e diz que é este segmento que a empresa considera importante e no qual investirá.

A Google está disposta a inaugurar uma nova geração de tablets baratos, afirmou o CEO da empresa, Larry Page. Após observar o sucesso do Kindle Fire, que é fabricado pela Amazon, a gigante concluiu que há mais espaço no mercado para aparelhos mais em conta do que para postulantes a novo iPad.

Os tablets com Android não são tão populares quanto os smartphones da plataforma, que dominam mais da metade do setor. O iPad, disponível a partir de 400 dólares nos Estados Unidos, se mantém soberano enquanto seus rivais, da Samsung à RIM, lutam para igualar sua qualidade e seu preço.

No entanto, o Kindle Fire, que sai por 200 dólares, conseguiu rapidamente se tornar o segundo tablets mais popular. Com sete polegadas, ele possui uma versão customizada do Android que, de tão alterada, pouco parece com o SO original. Todos os serviços da Google, por exemplo, deram lugar aos da Amazon, como a loja de aplicativos e de conteúdo, em um modelo parecido com a da Apple, mas bem mais barato.

A Amazon vendeu mais de três milhões de unidades do seu aparelho em poucos meses, e a Google, claramente, tem consciência disso. Em resposta a um questionamento, durante reunião em que apresentou os resultados financeiros do trimestre, Page afirmou:

?Alguns tablets de baixo custo que rodam Android, embora não o modelo completo, conseguiram grande sucesso, e acreditamos que esse segmento ainda crescerá muito. É ele, definitivamente, que consideramos importante e em que estamos focados.?

A declaração do CEO reforça a última especulação de que agigante está se esforçando para lançar seu tablet em alguns meses e por um valor que não ultrapasse os 200 dólares. Ele também teria sete polegadas, contaria com Android 4.0 e processador de quatro núcleos, mas só se conectaria à rede Wi-fi.

De acordo com reportagem do portal The Verge, que ouviu fontes próximas à companhia de Mountain View, a Asus é que irá fabricar o tablet e não a Motorola. O valor sugerido seria de 250 dólares e, por isso, a Google adiou seu lançamento, a fim de chegar à meta dos 200 dólares.

Será interessante ver o esforço da empresa para diminuir o preço do produto. A Amazon foi obrigada a cortar recursos e oferecer um dispositivo com só 8GB de armazenamento interno, sem câmeras ou microfone, e com um design que muitos consideraram pouco atraente. Mesmo assim, suspeita-se que ela o esteja vendendo por um valor abaixo do que gasta para produzi-lo, na esperança de reverter o prejuízo com sua plataforma de conteúdo ? aplicativos, músicas, vídeos e livros.

Fonte: Uol-idgnow