TIM, Claro e Oi prometem antenas, transmissores e cabo submarino

Anatel divulgou planos das empresas, que ficaram sem vender chips

Os planos de melhoria de serviços das empresas de telefonia celular apresentados à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) incluem a instalação de novas antenas, cabo submarino e transmissores. Juntas, Oi, TIM e Claro se comprometeram a investir cerca de R$ 20 bilhões até 2014. Os planos completos estão disponíveis no site da Anatel (clique aqui para acessar)

A apresentação ? e aprovação ? dos planos foi condição imposta pela agência para liberar, a partir desta sexta-feira, a volta da venda de chips para voz (celular) e dados (internet móvel) das três empresas. TIM, Oi e Claro ficaram 11 dias impedidas de adicionar clientes em alguns estados por conta do aumento das reclamações quanto à qualidade do serviço prestado por elas.

TIM

A TIM apresentou à Anatel plano de investimentos na melhoria de sua infraestrutura que prevê a construção de cerca de 2,4 mil novas antenas de celular no país até 2014.

A operadora tem hoje 11,607 torres no país. A meta é que esse número chegue a 12 mil até o fim deste ano e a 14 mil até o fim de 2014. Ela ressalta, porém, que essa ampliação depende da ?evolução do marco legal de compartilhamento e licenciamento de infraestrutura?, ou seja, fim de leis municipais que restringem instalação de antenas.

Nesta sexta-feira (3), a Anatel disponibilizou em seu site os planos de investimento apresentados por TIM, Oi e Claro. A entrega e aprovação desses planos foram condições impostas pela agência para autorizar, a partir desta sexta, a retomada da venda de chips pelas três empresas.

Durante 11 dias elas ficaram proibidas de adicionar novos clientes de voz (celular) e dados (internet móvel) em alguns estados por conta de reclamações quanto à qualidade de seus serviços.

No plano apresentado à Anatel, a TIM prevê investimento de R$ 8,2 bilhões até 2014. Além de novas antenas, a empresa pretende elevar o número de equipamentos de transmissão de voz e dados (de 157 mil para 271 mil) e aumentar a sua rede de fibras óticas dos atuais 28,8 mil para 37,6 mil quilômetros.

Com essas melhorias, a TIM informou que, até 2014, pretende levar de 76% para 92% o índice de regiões com taxa de chamadas completas dentro da meta. Já em relação à taxa de queda de ligações, 100% de sua rede deve estar dentro da meta até o ano que vem, diz o documento.

A empresa também informa que pretende elevar de 8% para 93% as regiões dentro da meta quanto à taxa de resposta ao usuário, um dos índices que medem a qualidade no atendimento aos clientes. A operadora reconhece que essa taxa é hoje de 0% em 19 estados do país.

A TIM foi a operadora que recebeu a punição mais severa da Anatel com a medida cautelar anunciada em 18 de julho. A empresa foi obrigada a suspender a venda de chips em 18 estados mais o Distrito Federal ? onde liderou em número de queixas.

Claro

No plano apresentado à Anatel, a Claro informou que pretende investir R$ 6,3 bilhões até 2014. Cerca de R$ 980 milhões devem ser gastos com um novo cabo submarino que vai ligar o Brasil aos Estados Unidos e deve elevar a capacidade e velocidade de transmissão de dados da empresa.

?Este cabo submarino terá uma capacidade de até 500 Gbps (gigabits por segundo), permitindo suportar o crescimento de tráfego previsto para os próximos anos, atendendo aos principais eventos como Copa do Mundo e Jogos Olímpicos de 2016?, diz a operadora no documento.

A Claro projeta que a sua taxa de chamadas completadas, hoje em 94%, deve chegar a 96% até o fim de 2014. Já a taxa de resposta ao usuário, que está em 97%, vai superar 98% no mesmo período.

Para garantir a melhoria no atendimento aos clientes, a operadora informou que pretende aumentar de 8 para 11 o número de centrais de atendimento, além de criar novos canais de auto-atendimento para seus usuários.

Oi

O plano apresentado pela Oi prevê que os R$ 5,5 bilhões em investimentos até 2014 devem levar à redução das taxas de reclamações de clientes à ela própria e à Anatel de 12% para 4% da base de clientes no período. Apenas nas reclamações à Anatel, a meta é uma queda de 42%.

A Oi projeta que sua base de clientes vá crescer cerca de 35% até 2014. Até lá, para dar conta da demanda em sua rede, uma das metas informadas pela empresa é aumentar 156 mil para 200 mil o número de transmissores de voz e dados.

Fonte: G1