Tubby trava na hora que vai deletar os perfis e afirma que mulheres ´arregam´

As interessadas em deletar o perfil do Tubby podem optar pelo Facebook ou pelo site do aplicativo.

O Tubby, app que só estará disponível para acesso no próximo dia 4, já oferece a possibilidade de mulheres descadastrarem os seus perfis. Com a divulgação de hashtags com teor mais ofensivo do que as do Lulu, rede social feminina que mantém a mesma lógica de análise do sexo oposto, a procura por essa opção tem sido frequente e, por isso, o site do Tubby App ficou fora durante a madrugada desta segunda-feira.



No perfil oficial do app no Facebook, foi publicada a seguinte nota, entre 3h30 e 4h da manhã. "Sofremos algumas instabilidades entre 0h e 2h, pois recebemos muitos acessos. Quem por acaso não conseguiu se cadastrar - ou mesmo descadastrar -, tente agora."

Parece, no entanto, que o problema não foi sanado como prometido. A publicitária Bárbara Grillo começou suas tentativas às 9h e só conseguiu ter o perfil removido às 12h. "Tentei diversas vezes e a página do aplicativo reiniciava, sem mostrar evolução. Só consegui apagar o meu perfil quatro horas depois", relatou.

Fato semelhante ocorreu com a também publicitária Amanda Croaca que, assim como as suas amigas, está de plantão desde às 11h na frente do computador, iPhone e tablet, e até agora não obteve sucesso. "Toda vez que entro no site ou mostram uma mensagem de erro ou sequer sai da página inicial", explicou. A publicitária, entretanto, parece não abrir mão da missão. "O conteúdo que tem sido divulgado pelo app é ofensivo e expõe a imagem das pessoas de forma totalmente desnecessária", justificou.

App diz que desistentes "arregaram"

As interessadas em deletar o perfil do Tubby podem optar pelo Facebook ou pelo site do aplicativo. Ao fim do processo, o site mostra uma mensagem de despedida alegando que a mulher "arregou" ao pedir para sair da rede social. As mulheres, no entanto, não parecem se incomodar com a falta de espírito esportivo do aplicativo. "Isso não me afetou em nada. Prefiro ser chamada de "arregona" por um site do que ter a minha imagem denegrida e ficar exposta a análises até mesmo do que eu não fiz", completou, Bárbara.

Fonte: techtudo