Windows XP ainda roda em 60% dos computadores corporativos

Pesquisa mostra que, mesmo com o avanço do Windows 7, plataforma com 10 anos da Microsoft ainda é dominante nas empresas.

Apesar das empresas estarem migrando cada vez mais máquinas para o Windows 7, a antiga versão XP do sistema operacional da Microsoft ainda está presente em 6 a cada 10 computadores nas companhias, de acordo com um relatório divulgado pela empresa de pesquisa Forrester.



A nova versão do software equipou cerca de 21% dos PCs corporativos que acessaram o site da Forrester em março deste ano. Enquanto que isso representa mais do que o dobro da mesma plataforma no ano anterior (9,5%), o Windows XP e seus 10 anos de idade continua como o sistema operacional mais utilizado no mundo corporativo, e por uma boa margem: em março, os sistemas com XP representaram 59.9% de todas as 400 mil máquinas que visitaram o domínio Forrester.com, oriundos de 2.500 empresas.

Ben Gray, analista da Forrester e um dos co-autores do relatório, citou que a adoção do Windows 7 está acelerando, todavia, ao mesmo tempo, o XP mantém-se majoritário, apesar de figurar no corredor da morte da Microsoft. A empresa irá interromper os updates de segurança em abril de 2014.

Gray está confiante de que grande parte dos sistemas com XP já esteja aposentado até esta data, substituídos por máquinas mais novas rodando Windows 7. ?A maioria das companhias irá migrar para o Windows 7 durante o próximo ano, com a aproximação do fim do suporte ao XP? escreveu o especialista.

De acordo com a Forrester, tanto o XP quanto o Vista perderam parcelas de mercado para o Windows 7 nos últimos 12 meses, entretanto foi o Vista que teve a queda mais expressiva, despecando de 11,3% em Abril de 2010 para apenas 6,2% em Março de 2011. Os dados mostram que o Vista figurava com 14% em novembro de 2009, um mês antes do lançamento do Windows 7.

?Não é nenhuma surpresa, mas as empresas estão abandonando o Vista em favor do Windows 7? apontou Gray. O Vista foi profundamente criticado elos usuários pouco tempo depois de seu lançamento em 2007, e sofreu investidas de analistas e publicações especializadas. A única luz no fim do túnel foi que, como o Windows 7 compartilhava da mesma base de código, as companhias que se comprometeram com o Vista acharam tranquila a migração para a versão mais nova.

Fonte: Uol-idgnow