Word 2013 chega pronto para tablets e navegação em nuvem

Software mais usado do Office ganha maior integração com a "nuvem" e foi otimizado para telas sensíveis ao toque.

O novo Microsoft Office 2013 foi anunciado nesta segunda-feira (16/7) por Steve Ballmer durante um evento realizado em São Francisco, na Califórnia. Seguindo o mesmo caminho do Windows 8 e do Windows Phone, a Microsoft está reinventando o Office para adaptá-lo a novas tecnologias e mantê-lo competitivo num mercado cada vez mais complicado. Pudemos fazer um rápido teste e vamos ver como funciona o novo Word 2013.





Normalmente, quando abre o Word a primeira coisa que o usuário vê é um documento em branco. Mas o Word 2013 leva o usuário para uma espécie de página inicial, similar àquela vista no Word 2010 caso você comece um novo documento a partir de um modelo. Em um painel à direita da tela há várias miniaturas que ilustram diferentes modelo, e um pequeno painel à esquerda que permite escolher documentos recentes ou abrir outros arquivos.

A barra Ribbon foi recebida de maneira bem dividida pelos usuários. Enquanto para uns é bom ver que a Microsoft está inserindo-a em todos os seus produtos, outros detestam a ideia. O Word 2013, todavia, adota um comportamento híbrido, em cima do muro: a barra existe, porém há uma seta no canto direito que permite ao usuário fazer com que ela seja reduzida a um simples menu de links no topo. Ao clicar em um desses links, a Ribbon se expande mostrando todas as opções.

A Microsoft está incentivando cada vez mais os usuários a trabalhar na nuvem. O Windows 8 encoraja que você faça login com seu Microsoft ID, ao invés de sua conta local do sistema operacional. Esse ID conecta você ao serviço de armazenamento SkyDrive, e permite que suas configurações e informações de programas da Microsoft sejam sincronizadas entre múltiplos aparelhos. No Word 2013, seus documentos podem ser salvos em seu PC, porém o SkyDrive é o local de armazenamento padrão.

A Microsoft informa os usuários sobre quais podem ser as consequência de salvar o arquivo em um determinado local. Ao escolher entre as diferentes opções (como o Skydrive, no computador ou em um dipositivo removível), texto no rodapé da janela Salvar Como informa se o arquivo estará disponível online ou em outros aparelhos, e se pode ser compartilhado com outros a partir da localização escolhida.

Salvar documentos no SkyDrive tem algumas vantagens, além de permitir o acesso a partir de outros aparelhos ou o compartilhamento facilitado. O mais impressionante é que o Word 2013 lembra onde você parou: caso você pare de trabalhar em um documento, o programa marca sua posição. Quando o arquivo for reaberto, mesmo que em outro computador ou aparelho, o Word 2013 pode deixá-lo bem onde você parou.

Há duas novas funções interessantes para colaboração e edição: em primeiro lugar, é possível responder diretamente a um comentário deixado por um colega em um documento compartilhado (voltado àqueles usuários que discutem temas e alterações em um documento, o que pode gerar um chat caótico), mantendo a discussão em um único tópico. O outro recurso é a habilidade de travar os registros de alterações mediante uma senha, garantindo que todas as mudanças no arquivo fiquem sempre visíveis.

A nova geração do software presta muita atenção a tecnologias de telas sensíveis ao toque. Você pode tocar em gráficos ou imagens para dar zoom, expandir ou ocultar seções de um documento e segurar o dedo em uma palavra ou frase para acessar opções de contexto. A Microsoft, evidentemente, espera que o Word 2013 seja usado em aparelhos com telas sensíveis ao toque.

Em suma, as primeiras impressões são positivas. A Microsoft parece ter feito um trabalho sólido ao adaptar o Word tradicional para que ele acomodasse novos recursos e melhorias que tornam o software muito mais funcional em tablets e outros dispositivos com telas sensíveis ao toque. A rota em direção a nuvem irá ajudar a proteger os dados, simplificar o compartilhamento de arquivos e proporcionará aos usuários um acesso consistente a informações a partir de praticamente qualquer dispositivo.

Fonte: Uol-idgnow