Temporais castigam parte do estado de Minas Gerais e deixam mortos;veja

Temporais deixam quatro mortos em MG

Temporais que castigaram boa parte de Minas Gerais causaram a morte de quatro pessoas no domingo, 22, em diferentes regiões do Estado. Segundo balanço divulgado nesta segunda-feira, 23, pela Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec), desde o início do período chuvoso, em outubro, 14 pessoas morreram e 23 municípios mineiros já decretaram situação de emergência ou calamidade pública em Minas devido a problemas causados pela chuva.

As últimas mortes foram registradas em Governador Valadares e Itanhomi, no Vale do Rio Doce, e em Ipatinga, no Vale do Aço mineiro. Na primeira, de acordo com a Cedec, o deslizamento de uma encosta destruiu o quarto de uma residência onde estavam Letícia Paz, de 11 anos, e Kauã Feliciano Paz Rocha, de 3. As crianças foram retiradas dos escombros e levadas para o Hospital de Pronto-Socorro do município, mas não resistiram e chegaram sem vida à unidade.

Segundo a Cedec, deslizamentos de terra causaram ainda as mortes de Maria Benedita da Silva, de 66, em Itanhomi, e de Aldinei Magalhães Barbosa, de 33. Ambos tiveram as casas atingidas , que também tiveram as casas parcialmente destruídas por deslizamentos de terra. No Vale do Aço, de a chuva já havia causado a morte de Celso Benício de Araújo Paiva, que foi soterrado em um lote onde fazia uma escavação em Timóteo.

Além das mortes já confirmadas, homens do Corpo de Bombeiros ainda estão à procura de Leonardo Batista de Souza, de 7, desaparecido desde que a casa onde morava na zona rural de Sardoá, também no Vale do Rio Doce, foi atingida pelo deslizamento de uma encosta no último dia 17. Na residência estavam ainda Vladimir Souza, de 24, Maria Conceição de Souza, de 50 anos, Wallace Catarino Costa Souza, de 9, Wanderson de Souza, de 10 , e Gabriela de Souza Batista, de 6, que morreram soterrados.

Ainda de acordo com a Cedec, chuvas intensas, enxurradas e inundações levaram ao decreto de situação de emergência ou calamidade pública em 23 cidades principalmente nos vales do Rio Doce, do Mucuri e na Zona da Mata mineira. Os temporais também deixaram 563 desalojados e 139 desabrigados em Minas, onde 222 imóveis já foram danificados e 22 destruídos em meio aos temporais.

Fonte: Estadão, www.estadao.com.br