Temporal mata oito pessoas e causa destruição em Lajedinho

Temporal mata oito pessoas e causa destruição em Lajedinho

O órgão também aponta que cerca de 100 pessoas tiveram suas casas afetadas pelo temporal

Um temporal causou destruição e mortes na noite de sábado (7), no município de Lajedinho, a cerca de 355 km de Salvador, na região da Chapada Diamantina. Até as 14h50 (horário da Bahia) deste domingo (8), a Defesa Civil do Estado confirmou a localização de oito corpos após a enxurrada que destruiu casas e arrastou carros. O órgão também aponta que cerca de 100 pessoas tiveram suas casas afetadas pelo temporal e ficaram desalojadas ou desabrigadas.

Segundo o coordenador da Defesa Civil, Paulo Sérgio Luz, as buscas por pessoas desaparecidas continuam. Por volta das 12h40, o órgão tinha a informação de dez desaparecidos. De acordo com dados do IBGE, Lajedinho possui cerca de 4.079 habitantes.

Uma equipe da Defesa Civil foi enviada em caráter emergencial ao município na manhã deste domingo. Eles procuram por escolas e ginásios na região que possam servir de abrigo para as vitimas. Cobertores, colchões e alimentos também são levados.

Ainda de acordo com a Defesa Civil, cerca de 90% do comércio de Lajedinho foi destruído.

O vice-governador do estado, Otto Alencar, esteve em Lajedinho e afirmou que o cenário é de muita destruição. "Houve uma tromba d"água, que começou 11h da noite e foi até 1h30 da manhã. Choveu 120mm. O solo estava completamente descoberto por causa da seca", afirmou.

O professor Eliude Carvalho da Silva, morador de Lajedinho há 16 anos, relatoua ocorrência de duas mortes em sua família e a informação de que ainda há conhecidos e parentes desaparecidos. "Duas pessoas da minha família morreram. Minha cunhada e meu sobrinho", afirmou na manhã deste domingo.

De acordo com o morador, a cidade fica em uma região de vale. "Fica em uma baixada. Isso [alagamento] já aconteceu no ano passado. A chuva foi muito forte, e associado a essa chuva, vem trazendo mato da cabeceira do rio", conta.

O morador Marcos Antônio Oliveira registrou as imagens de destruição e caos na cidade e contou, em entrevista, que os bairros afetados ficaram sem energia elétrica e sem abastecimento de água. Ele também aponta que esta não é a primeira vez que a cidade é afetada por um grande temporal. "Três vezes que isso já acontece e não fazem nada. Com vítimas foi a primeira vez", diz.

Fonte: G1