Teresina em Aquarela

Teresina em Aquarela

Teresina em Aquarela

A cidade que se mostra através de suas cores, formas, gente, tem no traçado uma característica peculiar: cresce a cada dia aliando passado, presente e futuro. 

A Teresina planejada de antigamente dá lugar a uma capital em amplo desenvolvimento que tem uma arquitetura cada vez mais arrojada e presente nas ruas. 

O livro ‘Teresina em Aquarelas’, de autoria de Alcília Afonso e Álvaro Marques, faz um resgate do que foi construído antes e traz o novo também como um importante instrumento de crescimento.

Fruto de um trabalho desenvolvido por uma equipe de alunos do curso de Arquitetura e Urbanismo do Centro de Tecnologia da Universidade Federal do Piauí (UFPI), que faz parte do grupo de pesquisa Amigos do Patrimônio, cadastrado na UFPI e no CNPq, o livro teve a coordenação da arquiteta Alcília Afonso que selecionou algumas das obras mais simbólicas de cada período estilístico. 

E com a supervisão do aluno Rômulo Marques, foi repassada para um grupo a missão de retratar, através da arte, a produção de aquarelas dos edifícios. As alunas Karla Katrini, Jordana Sousa e Jaqueline Inagda são as responsáveis pelas ilustrações.

A ideia da publicação é abrir o olhar das pessoas para essa beleza arquitetônica que existe, difundindo e descobrindo. “A integração arte cidade tem sido uma busca constante desenvolvida por arquitetos, urbanistas, artistas, intelectuais e por todos os cidadãos sensíveis e atentos a solucionar a melhoria da qualidade de vida nas nossas cidades, através da preservação dos bens culturais e a inserção de obras de arte nos espaços urbanos”, diz.

Segundo Alcília, o acervo cultural arquitetônico, classificado como bem patrimonial imóvel para ser apropriado pela população, necessita de ações constantes na área de educação patrimonial, a fim de conscientizar cidadãos a respeito do valor histórico, arquitetônico e culturais de tais edificações.

“É um produto do tripé ensino, pesquisa e extensão. Procura divulgar o rico acervo da arquitetura teresinense, trazendo à tona os principais marcos de nossa cidade. 

Estilos como o neoclássico, o ecletismo, o art dèco, o modernismo e a contemporaneidade são expostos através de 39 aquarelas, que expressam a riqueza dessa produção teresinense. 

Divulgaremos este trabalho em nível local, regional, nacional, a fim de desenvolver ações de educação patrimonial, através de exposições itinerantes, cartões postais, livro e palestras”.

O livro traz informações sobre quarenta e duas edificações da capital, entre prédios históricos e modernos, destacando as formas de pontes, igrejas, residências, hospitais, teatros, locais que estão muito presentes na vida da cidade e que, muitas vezes, passam despercebidos. 

Entre os locais destacados, Ponte Estaiada Isidoro França, Shopping da Cidade, Assembleia Legislativa, Casa Anísio Brito, Fiepi, Troca Troca, Prefeitura Municipal de Teresina, Catedral Nossa Senhora das Dores, Capela do Colégio das Irmãs. Em cada um deles, há dados sobre o tipo de arquitetura, além de outras informações.

Foi produzida ainda uma seleção de textos, realizada por pesquisadores que colaboraram nesse trabalho. “O livro divide-se em duas partes. Uma primeira, voltada para uma amostragem das aquarelas produzidas, acompanhada por textos esclarecedores. 

A segunda parte, composta pelos artigos, muito deles publicados em congressos nacionais e internacionais. Cada autor colaborador foi responsável pelas pesquisas e pontos de vista colocados”, diz a arquiteta, lembrando que a proposta é que o livro contribua com a educação patrimonial em Teresina.

“E que sirva de exemplo para demais lugares, contribuindo para a divulgação, reconhecimento e apropriação de nossa cultura por parte de todos nós, que vivemos e fazemos as nossas cidades”.







Fonte: Liliane Pedrosa