Teresina recebe mais de 75 mil doses da vacina contra gripe H1N1

A imunização serve contra o vírus Influeza A H1N1

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Teresina recebeu 77 mil doses da vacina contra o vírus Influeza e começará a vacinação dos profissionais de saúde nesta sexta-feira, 15 de abril, e para as demais prioridades no dia 30, que será o Dia D de Mobilização, com ponto de concentração da Unidade Básica de Saúde Leônidas Antônio Deolindo, no bairro do Saci, zona Sul da cidade.

“As demais doses da vacina receberemos no decorrer da campanha, que vai de 30 de abril a 15 de maio. Vamos começar a vacinação com os profissionais de saúde, que são a parcela da população responsável por cuidar das demais pessoas. Se eles adoecerem, o sistema todo está falido”, explica Amariles Borba, diretora de Vigilância em Saúde da FMS. 

Além dos profissionais de saúde, fazem parte do grupo prioritário para receber a dose da vacina contra gripe: crianças de 6 meses a 5 anos, maiores de 60 anos, grávidas em qualquer idade gestacional, puérperas, população privada de liberdade, funcionários de sistemas prisionais e pessoas com doenças crônicas (diabetes, hipertensão e outros).

A imunização serve contra o vírus Influeza A H1N1, o vírus Influenza A H3N2 e o vírus Influenza B. A FMS de Teresina tem como meta, preconizada pelo Ministério da Saúde, vacinar 173.058 pessoas contra Influenza. Desse total são 20.894 crianças de 6 meses a 2 anos, 35.401 crianças de 2 a 4 anos, 13.402 trabalhadores de saúde, 10.447 gestantes, 1.717 puérperas, 70.481 idosos e 20.716 pessoas com comorbidades.

De acordo com o Ministério da Saúde, a Influenza, comumente conhecida como gripe, é uma doença viral febril, aguda, geralmente benigna e autolimitada. Frequentemente é caracterizada por início abrupto dos sintomas, que são predominantemente sistêmicos, incluindo febre, calafrios, tremores, dor de cabeça, mialgia e anorexia, assim como sintomas respiratórios como tosse seca, dor de garganta e coriza. A infecção geralmente dura uma semana e com os sintomas sistêmicos persistindo por alguns dias, sendo a febre o mais importante.

Os vírus influenza são transmitidos facilmente por aerossóis produzidos por pessoas infectadas ao tossir ou espirrar. Existem três tipos de vírus influenza: A, B e C. O vírus influenza C causa apenas infecções respiratórias brandas, não possui impacto na saúde pública e não está relacionado com epidemias. O vírus influenza A e B são responsáveis por epidemias sazonais, sendo o vírus influenza A responsável pelas grandes pandemias. 

A FMS de Teresina realizou capacitações de Equipes Interdisciplinares em Síndrome Gripal A H1N1 durante o mês de março, com o principal objetivo de atualizar médicos e enfermeiros da rede pública e privada da capital para o atendimento aos pacientes com Síndrome Gripal Aguda Grave, proporcionando maior conhecimento sobre o agravo.

“Precisamos que os profissionais de saúde estejam atentos aos pacientes com Síndrome Gripal Aguda Grave para fazermos uma correta investigação de todos os casos”, diz Amariles Borba. Ela explica ainda que em caso de Síndrome Gripal a hidratação é a maior providência que o paciente pode fazer, principalmente os maiores de 60 anos e crianças. “A desidratação e a secreção espessa (grossa) são os maiores complicadores da gripe. A pessoa deve se hidratar a ponto de sua urina ficar transparente feito a água que bebe”, enfatiza.

Fonte: Com informações da Prefeitura de Teresina