Teresinense fica mais tempo sem energia, informa Aneel

Os dados divulgados pela Aneel comprovaram que a empresa que distribui energia no Estado é a sexta pior concessionária do país

O teresinense fica mais tempo sem luz do que o que é estipulado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). A informação foi divulgado em um relatório da Aneel e comprova que a Eletrobras Distribuição Piauí é a sexta pior concessionária do país, quando o assunto é continuidade no abastecimento de energia elétrica.

No ano passado, os piauienses passaram, em média, um dia e meio sem energia elétrica. A central de atendimento da empresa recebeu, em um único dia, por exemplo, mais de 500 reclamações e os consumidores se queixam porque o reparo da rede elétrica demora a acontecer. Em regiões como a zona Leste, por exemplo, as quedas no abastecimento são constantes e em regiões mais periféricas da cidade, as pessoas passam até dois dias sem energia elétrica.

O estudante Antônio Paiva Júnior, que mora na zona Leste da cidade conta que o abastecimento de energia elétrica na região onde ele mora é bastante precário. ?A energia elétrica aqui na zona Leste vem se mostrando muito instável, a falta de energia ocorre à tarde quando as condições climáticas encontram-se normais, não há qualquer motivo aparente para que ocorra o desabastecimento. Talvez seja um problema de infraestrutura ou simplesmente a falta de investimento, a Eletrobras é a sexta pior do Brasil, e faz jus ao título?.

O relatório mostra ainda que essa não é uma queixa realizada só piauiense, mas de todo o país. Entre as dez maiores distribuidoras do país, cinco deixaram os clientes no escuro por mais tempo do que deveriam. Em média, os brasileiros ficaram 18 horas e 39 minutos sem luz em 2012. O limite máximo estipulado pela Agência Nacional de Energia Elétrica era de, em média, 15 horas e 52 minutos.

Na região Norte estão as concessionárias de energia que tiveram mais tempo de apagão no último ano. Em 2011, os consumidores paraenses ficaram 99 horas no escuro. No ano passado, subiu pra 102 horas. Esse número é três vezes maior que o limite aceitável pela Aneel.

A assessoria de comunicação da Eletrobras informou que apesar dos indicadores atuais não serem favoráveis, a empresa está investindo no sentido de melhorá-los e que isso está bem demonstrado na redução do percentual do FEC (frequência equivalente de interrupção por unidade consumidora) que antes era de 32,93 vezes e foi reduzido para 26,26 vezes.

uma redução de 12,5%. Em relação aoDEC (duração equivalente de interrupção por unidade consumidora) também houve melhorias com redução de 41,55 horas para 30,75 horas, o que quer dizer, uma redução de 19,1%.

?Enquanto no Brasil os indicadores estão aumentando, no Piauí esses indicadores estão diminuindo, significa dizer que os serviços prestados estão a cada dia em processo de evolução e melhoria. Quanto mais próximos de zero, melhor a qualidade do fornecimento de energia?, informou a assessoria.

Fonte: Pollyana Carvalho