Teresinense não confia na faixa de pedestre, revela dados da Strans

Teresinense não confia na faixa de pedestre, revela dados da Strans

Com receio da falta de compromisso dos condutores da capital com a legislação, os pedestres não se sentem seguros de utilizar a faixa

A faixa de pedestre é mais uma sinalização voltada para organizar o trânsito nas cidades e ajudar tanto pedestres quanto os condutores na hora de trafegar pelas ruas. Mas ela ainda é pouco respeitada em Teresina e quem anda a pé alega que tem medo de usá-la, por causa dos riscos de acidentes.

O estudante Gilson Silva afirma que se sente mais seguro para usar as faixas localizadas onde existem semáforos. As outras, ele diz evitar, principalmente se elas estiverem em locais com grande circulação de veículos.

“A maioria dos condutores em Teresina não respeita a faixa e eu já presenciei alguns casos desse desrespeito. Os condutores apressados e desatentos acabam ignorando a existência da faixa, e a correria do dia a dia colabora para que este problema se agrave. Por causa disso, eu sempre procuro usar as faixas com semáforo”, disse.

Por outro lado, existem os casos em que os pedestres, mesmo vendo a existência das faixas nas proximidades, escolhem atravessar fora dela. Isso tem refletido no número de acidentes envolvendo essas pessoas. 

“Claro que o número de acidentes com pedestre não se comprara ao que envolve motociclistas, mas nós já percebemos um aumento nesses dados e acreditamos que a falta de respeito à faixa também é responsável por esse crescimento”, disse a gerente de Educação no Trânsito da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans), Samira Mota.

Ela explica ainda que tanto condutores, quanto pedestres devem fazer sua parte na hora de usar essa sinalização.

“Os motoristas precisam ficar atentos à hora de parar, e observar se há pedestres querendo atravessar. Já quem está a pé, precisa também estar bastante atento. Não é só colocar o pé na faixa e já atravessar, ele precisa esperar que o condutor pare seu veículo e só depois seguir”, afirmou.

Samira alega que não há desconhecimento da legislação, principalmente por parte dos condutores, e que essa não pode ser usada como justificativa para desrespeitar a faixa. 

“Os condutores não respeitam por achar perda de tempo parar na faixa, já os pedestres acabam atravessando fora da faixa por saberem que não serão multados.

Essas são duas das explicações possíveis que encontramos para isso. No entanto, isso não deveria acontecer. Nós já fizemos campanha, já tentamos conscientizar as pessoas, mas essas infrações continuam acontecendo”, pontuou.

Clique aqui e curta a página do meionorte.com no facebook

 

Fonte: Pollyana Carvalho