THE: Violência pode ser a causa da Síndrome do Pânico em vários pacientes

THE: Violência pode ser a causa da Síndrome do Pânico em vários pacientes

Uma das características de quem tem a síndrome, segundo o psiquiatra, é o medo de não ter alguém por perto que possa socorrê-la nos momentos do perigo

A violência que se alastra tem feito um número maior de pessoas com diferentes tipos de sequelas. Gente que é roubada ou sofre agressões geralmente sofre distúrbios, o principal deles é a Sindrome do Pânico, um mal que, além de outros problemas, provoca neurose de angústias.

O médico Chico Ramos relata a presença de um número maior de pessoas em seu consultório. O caso mais recente é o de uma jovem de 22 anos que foi feita de refém por criminosos e até hoje tem graves sequelas. ?Essa moça ficou de tal forma que não sai na rua sem um acompanhante. Ela não dorme mais com as luzes apagadas e não confia em nada, não dirige carro.?

O medo atinge todas as classes sociais independentemente da idade ou do sexo. ?Eu ando insegura. Tenho muito medo de andar no centro da cidade?, disse uma dona de casa.

?A onda de violência presente no cotidiano dos teresinenses pode estar resultando na doença?, a afirmação foi feita pelo médico psiquiatra Eurivan Sales, durante o telejornal Agora, desta terça-feira, 11. Ele afirma ainda que as suas causas nem sempre são conhecidas.

Uma das características de quem tem a síndrome, segundo o psiquiatra, é o medo de não ter alguém por perto que possa socorrê-la nos momentos do perigo, ou de não ter um remédio quando precisar. ?Portadores da doença têm medo de sair de casa ou até mesmo de relacionar-se com outras pessoas?, diz o psiquiatra.

?A pessoa pode acordar pela madrugada, altamente agitada, coração batendo forte, pés e mãos frios e um medo muito grande de morrer. O medo não é aparente, ele existe!?, reforça o médico ao afirmar que também já foi assaltado. ?A população se sente refém desses bandidos que estão colocando medo nesta cidade?, conclui.

Fonte: Denison Duarte