Timon: Lixo é problemas para moradores

O problema de lixo nas ruas ocorre com mais frequência do que se imagina.

O lixo depositado em locais próximos a residências incomoda tanto pela sujeira e mau cheiro, quanto pela probabilidade em provocar doenças nas pessoas.


Timon: Lixo é problemas para moradores

O problema de lixo nas ruas ocorre com mais frequência do que se imagina. E quando o lixo é jogado em BRs, por exemplo, a situação piora ainda mais, devido à maior movimentação de pessoas e do trânsito.

Os moradores de Timon, que residem nas imediações da BR-316, mais precisamente na Rua 109, e os comerciantes e trabalhadores do entorno da BR, convivem com o lixo depositado por moradores do local há vários anos.

O problema, diz o morador Pedro Sebastião da Silva, residente na Rua 109, é que o lixo está sendo jogado às margens da BR-316 e dentro da galeria existente no local.

Ele entende que do lado da BR, na Rua 109, do Bairro Parque São Francisco, a rua que atravessa a avenida recebeu o calçamento, mas este não foi concluído devido à galeria a céu aberto em um trecho da Rua 109. ?Eu acredito que a rua não foi calçada porque a galeria precisa ser coberta.

E quanto ao lixo, a prefeita manda limpar todo ano, mas as pessoas continuam jogando lixo às margens da galeria, mesmo o local estando limpo. Tem gente mal-educada que joga lixo e até animais mortos dentro da galeria. Isso é um absurdo?, reforça.

Carros de lixo trafegam derramando resíduos

Para o funcionário de uma loja localizada às margens da BR 316, Valdinar Rodrigues, o lixo incomoda muito e quem joga são os moradores do entorno, e também comerciantes que trabalham nas proximidades da avenida.

Mas o pior, diz ele, são os carros de coleta de lixo que trafegam pela avenida com a carroceria aberta e derramando lixo por todo o percurso da avenida.

?Os motoristas que coletam o lixo em caminhões abertos trafegam em alta velocidade e com isso o lixo vai caindo dos caminhões, quando eles passam pela BR 316?, relata.

Valdinar lembra que presenciou a queda de um pedaço da carroceira de um dos caminhões de coleta de lixo de Timon, sobre a BR, e por pouco não atingiu um motociclista que trafegava pelo local. ?Foi um susto para todos nós que presenciamos a queda de um pedaço da carroceria.

O motociclista levou o maior susto?, comenta o trabalhador, acrescentando que os funcionários da coleta de lixo não usam nenhuma proteção e somente alguns poucos utilizam luvas.

A comerciante Maria Lúcia, que trabalha às margens da BR 316, conta que as pessoas depositam sacos de lixo às margens da BR para que o carro de coleta possa recolher.

?O problema só se agrava porque o carro demora a passar. E em relação à galeria, todos os prefeitos que já entraram dizem que vão fazer a cobertura da galeria e até hoje nunca fizeram?, reitera.

Moradores reclamam da falta de coleta de lixo

O morador Pedro Sebastião da Silva reclama da falta de coleta do lixo, resultado da limpeza feita por trabalhadores da Prefeitura de Timon, na Rua 109. A rua foi limpa, mas o lixo não foi recolhido.

?Capinaram a rua e nunca vieram pegar o lixo. A capina foi feita no mês passado e a mato já está nascendo novamente, devido à demora?, observa.

Para diminuir a quantidade de lixo no meio da rua, deixado pela capina, alguns moradores estão tocando fogo no mato. O morador diz que o fogo provoca fumaça, mas é melhor do que deixar a rua cheia de mato seco acumulado.

?Tocar fogo não é a solução, mas ou a gente queima o mato acumulado ou a situação fica ainda pior. O ideal seria que o caminhão de coleta de lixo viesse recolher o lixo da capina, logo que a limpeza fosse feita?, observa.

Ele diz que mora há 30 anos no local e a reivindicação pelo calçamento era antiga. Segundo ele, a rua deveria ter sido calçada toda, até a avenida, para facilitar o acesso dos moradores à BR 316.

?Facilitaria muito o nosso acesso, caso a galeria fosse coberta, porque a rua seria calçada por cima dela e teríamos o acesso até a avenida?, reforça.

Fonte: Lindalva Miranda