Trabalho "perdido" de Shakespeare gera controvérsias

Um acadêmico afirma que uma peça escrita no século 17 pode ser baseada numa trabalho perdido de William Shakespeare.

Um acadêmico afirma que uma peça escrita no século 17 pode ser baseada numa trabalho perdido de William Shakespeare. Após anos de investigação literária, um professor da Universidade de Nottingham disse hoje que tem certeza que "Double Falsehood, or the Distressed Lovers" é derivada de "Cardenio", uma peça que estudantes de Shakespeare acreditam ter existido.

Alguns acadêmicos acreditam que "Double Falsehood", escrita por Lewis Theobald e encenada no West End londrino em 1727, foi baseada em "Cardenio". "Definitivamente há o DNA de Shakespeare", disse o professor de literatura inglesa Brean Hammond, que trabalha desde 2002 para determinar se "Double Falsehood" tem suas origens em Shakespeare. Arden Shakespeare, a editora que publica os trabalhos do bardo, divulgou uma edição da peça editada por Hammond, um decisão considerada controversa.

O editor geral da Arden, o estudioso de Shakespeare Richard Proudfoot, concorda com Hammond e diz que não há uma forma segura de saber se "Double Falsehood" é baseada no trabalho de Shakespeare, mas afirma que existe uma "posição suficientemente sustentável" de que representa a peça de alguma forma.

"Double Falsehood" é inspirada em Don Quixote e tem duas protagonistas femininas, homens arrojados e um vilão aristocrático. "Um casamento interrompido, uma série de cenas malucas e um quase estupro asseguram que a peça é cheia de acontecimentos", disse a Arden Shakespeare em comunicado.

Theobald disse que baseou seu trabalho em manuscritos de Shakespeare. Mas poucos acreditaram nele e Theobald foi considerado uma fraude por muitos.

Há fortes evidências de que "Cardenio" tenha existido: registros mostram que atores da companhia de Shakespeare foram pagos por terem representado a peça. E Hammond disse que Theobald afirmou ter usado três dos manuscritos quando escreveu "Double Falsehood", que estreou no West End com elogios.

Dúvidas

Mas as pessoas começaram a se questionar. Faltavam algumas marcas de Shakespeare, como longos solilóquios. Então, pessoas importantes do meio cultural começaram a avaliar o trabalho de uma forma não muito positiva. "Foi embaraçoso para Theobald porque ele estava tentando tornar sua reputação tão grande como o grande estudioso de Shakespeare", disse Hammond.

A professora Tiffany Stern, da Universidade de Oxford, disse que Theobald poderia ter publicado os manuscritos que ele afirmava ter como prova de que estava trabalhando com base num material escrito por Shakespeare.

"Todos na época acreditaram que ele estava mentindo e todos diziam ""se eles são genuínos, publique-os""", disse ela.

Alexander Pope, que teve grandes discussões com Theobald, escolheu a peça para ser o centro de "The Dunciad", um trabalho no qual um homem estúpido substitui o herói da Ilíada. E o trabalho de Pope foi o que trouxe Hammond do século 18 até Shakespeare. Ele estudava o trabalho de Pope na década de 1980 e decidiu investigar "Double Falsehood" mais a fundo. "Eu pensei em desenterrar e ler os trabalhos e que certamente havia algo por trás disso", disse ele. "Não se trata de uma farsa".

Mas isso foi em 2002, antes de Hammond voltar-se para o bardo. Proudfoot disse que ele desejava considerar a evidência mostrada por Hammond, que o acadêmico considerava "um grande impulso". A análise de Hammond mostrou fortes ligações com Shakespeare como ortografia, imagens e sintaxe.

Stern concorda que há uma possibilidade real de que a peça contenha raízes do trabalho de Shakespeare, mas também acredita que há fortes razões pelas quais pode não ter, lembrando a obsessão de Theobald tanto por Don Quixote quanto pelo bardo.

"Theobald escrevia repetidamente peças imitando Shakespeare, poemas que imitavam Shakespeare", disse ela. "Ele era fascinado por Shakespeare e estava sempre tentando escrever no estilo de Shakespeare".

Acadêmicos são loucos por encontrar outra peça de Shakespeare, disse ela e querem acreditar que "Double Fasehood" seja este trabalho. "Você pode iniciar uma verdadeira briga ao dizer que é uma fraude", disse Stern, "e pode dar início a uma verdadeira briga ao dizer que há uma peça em algum lugar".

Fonte: Estadão, www.estadao.com.br