Trânsito atrasa atendimento da equipe do SAMU em Teresina

Trânsito atrasa atendimento da equipe do SAMU em Teresina

O hábito corriqueiro dos condutores em não dar passagem às ambulâncias com sirenes ligadas acarreta na demora no atendimento e coloca a vida de vítimas em risco

Cena comum no trânsito de Teresina: veículos dos serviços de emergência duelarem a preferencial nas principais vias da cidade. As sirenes ligadas denotam que o veículo tem pressa em passar, mas os motoristas que estão à frente parecem não dar ouvido ao chamado de socorro e pouco fazem para abrir o caminho e deixar a ambulância passar na frente.

O problema é que este hábito corriqueiro dos condutores acaba contribuindo para a demora do veículo chegar ao local do resgate e coloca a vida de vítimas em perigo. Conscientizar é preciso e se faz cada vez mais necessário pedir a colaboração da população para agilizar o salvamento de vidas pelos agentes de saúde.

Em Teresina, o tempo médio de chegada de uma ambulância do SAMU ao local de emergência varia de 10 a 15 minutos. Embora três vezes mais rápido que na cidade de São Paulo - lá, uma ambulância leva em média 30 minutos para socorrer alguém -, a direção do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência em Teresina não está satisfeita com o dado e esclarece que o

tempo de atendimento diminuiria consideravelmente se a população colaborasse com o serviço. Segundo a diretora geral do SAMU em Teresina, Helsimone Rodrigues, os condutores de veículos não costumam dar a preferência e abrir caminho para as ambulâncias passarem.

"Dependendo do horário e da distância, a ambulância demora
aproximadamente 13 minutos para chegar ao local da emergência. Algumas pessoas acham que o SAMU demora a chegar, mas o problema principal é que a população não dá passagem aos veículos de resgate.

Por isso, pedimos que os condutores de veículos deem prioridade para as ambulâncias, pois facilita o resgate e pode salvar vidas. Lembre-se, hoje você pode estar dirigindo um carro e escolher não dar preferência para o serviço de resgate. Mas em outra ocasião a pessoa a precisar de ajuda pode ser você", destaca a diretora geral do Samu Teresina.

Felizmente, ainda há quem faça o certo e busca dar a preferência para as ambulâncias. O publicitário Carlos Melo conta que é comum ver essa cena em Teresina e não entende o comportamento de alguns condutores.

"Ao contrário da maioria dos motoristas, eu sempre procuro encostar o carro e deixar a passagem livre para ambulâncias. Imagino que dentro do veículo possa ter alguém que precisa de atendimento rápido e sempre encosto o carro para o carro passar.

Cenas como essa são difíceis de ver em Teresina, mas procuro fazer minha parte mesmo que em pequenos gestos", cita. Sempre ao ver uma ambulância pedir passagem, o correto a fazer é encostar o veículo e dar passagem preferencial.

Acelerar o carro para ir mais rápido pode ser configurado como imprudência de trânsito e colocar outras pessoas em risco. "Tem gente que acelera para tirar o carro do caminho. Eles fazem isso pensando em ajudar, mas o correto é parar e deixar o veículo passar.

É o tipo de atitude que faz bem para o condutor, para a ambulância e também para quem está precisando de ajuda. Se todos fizerem sua parte, a ambulância pode chegar mais rápido ao local e salvar pessoas que estão precisando de ajuda com urgência", pontua o publicitário.

2014: Mais de 46 mil atendimentos

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) de Teresina contabilizou 46.883 atendimentos em 2014. Esse número corresponde a atendimentos na zona urbana de Teresina com deslocamento de viaturas até os locais acompanhados de orientação por intermédio do número da central de regulação do SAMU, o 192.

Segundo a coordenadora do SAMU, Helsimone Alves Rodrigues, as equipes de socorro atendem em média 140 ocorrências diárias.A solicitação do atendimento do SAMU deve ser feita pela central de regulação através do número gratuito 192.

As ambulâncias do SAMU devem ser acionadas para atendimentos de urgência e emergência como: acidentes traumáticos, intoxicações por produtos perigosos, queimaduras graves e choques elétricos.

Os pacientes com problemas cardiorrespiratórios e hipertensão arterial devem ser encaminhados ao serviço de saúde por intermédio do SAMU, sempre que apresentarem quadros de crise.

Clique aqui e curta o Meionorte.com no Facebook

Fonte: OLEGÁRIO BORGES